PUBLICIDADE
Notícias

80 dias após rompimento de açude no Trairi, dois trechos ainda têm acessos improvisados

Quase três meses após rompimento da barragem da fazenda Unique, empresa ainda não apresentou plano de recuperação de danos. Acessos provisórios a destinos turísticos do Litoral Oeste são de areia e de piçarra

20:20 | 09/07/2017
NULL
NULL

[FOTO1] 

O arrombamento do açude da fazenda Unique, no município de Trairi, completa 80 dias neste domingo, 9. Dois trechos de acesso às praias de Flecheiras e Guajiru continuam com desvios improvisados, e a Unique Lqd Investment Empreendimentos Imobiliários Ltda, responsável pela barragem, ainda não apresentou plano de recuperação de danos. Acidente de carro foi registrado, na última semana, na Barra de Flecheiras. Um Corolla com cinco pessoas virou na piçarra.

[SAIBAMAIS]O prazo para a construção dos desvios definitivos pelo Governo do Estado é até setembro próximo, segundo o prefeito da cidade, Marcos Prado. A recuperação dos acessos deve custar aos cofres públicos pelo menos R$ 2,5 milhões, valor que deverá ser ressarcido mediante cobrança à Unique.

"O Camilo (Santana) garantiu fazer tudo até setembro, inclusive, temos uma reunião com ele na próxima sexta-feira, 14. O governador vai estar lá para falar sobre o assunto. Depois de fazer (os desvios definitivos), cobra da empresa", explicou Marcos, em entrevista ao O POVO online na noite deste domingo.

%2b Confira galeria: rompimento da barragem da Unique, em Trairi 

As atuais passagens para pedestres e veículos no Trevo da Volta da Hilda (distrito de Canaã), na CE-163, e na barra da praia de Flecheiras (distrito de Flecheiras), foram improvisadas pelo Departamento Estadual de Rodovias (DER) e pela Prefeitura do Trairi.

No sábado passado, 2, o Corolla caiu dentro de um buraco de areia, no desvio improvisado da entrada de Flecheiras. Cinco mulheres viajavam dentro do veículo, voltando de um evento de maquiagem em Flecheiras, mas não tiveram ferimentos.

[FOTO2] 

Outro acidente já havia sido registrado em uma das passagens improvisadas de areia e piçarra, no dia 10 de maio. Na ocasião, caminhão guindaste da Central Eólica Trairi (antiga Tractebel) atolou na Volta da Hilda, sob risco de tombar e cair no rio que passa debaixo da rodovia danificada.

O POVO online entrou em contato na noite deste domingo com o supervisor da fazenda Unique, que informou "não ter nada a falar sobre o assunto". Anteriormente, a reportagem já havia enviado e-mails e mensagens via WhatsApp para os britânicos Andrew James Goodman e Anthony Justin Archer, donos da empresa.

A Polícia Rodoviária Estadual (PRE), por meio do setor de estatística, informa que não registrou acidentes no trecho nesta semana.

Saiba mais
Para além dos prejuízos de acesso aos pontos turísticos, o arrombamento do açude na fazenda gerou prejuízos a 25 mil moradores de Trairi, cuja rotina escolar, atendimento médico e coleta de lixo sofreram descontinuidade.

A Unique Lqd Investment Empreendimentos Imobiliários Ltda é uma empresa do ramo do agronegócio que vende lotes de terra na fazenda para investidores estrangeiros.

TAGS