PUBLICIDADE
Notícias

Dona de casa é presa suspeita de articular morte do esposo no Interior

O professor de química Edivaldo Ferreira dos Santos, de 33 anos, foi morto na presença da família com quatro tiros

22:25 | 21/06/2016
NULL
NULL

A dona de casa Luziana Barbosa da Silva, de 26 anos, foi presa nesta terça-feira, 21,  suspeita de articular a morte do próprio marido, o professor de química, Edivaldo Ferreira dos Santos, de 33 anos. O crime aconteceu no Trairi, a 124 quilômetros de Fortaleza, na sexta-feira, 17. A Polícia alega que a esposa pagou R$ 1.600 a quadrilha para a execução do docente. Além de Luziana, o garçom,  Francisco Emerson Castro Viana, 19 anos, foi detido e um adolescente de 16 anos apreendido, ambos suspeitos de envolvimento. Outros dois seguem foragidos. 

De acordo com o comandante da 2ª Companhia do 11º Batalhão da Polícia Militar (BPM) de Paracuru, major Charles Robert, o professor foi morto na última sexta-feira, 17, na companhia da mulher e da filha de quatro anos. "Eles tinham ido comprar um lanche e quando chegaram a casa foram surpreendidos por quatros homens em uma moto, que o renderam em frente a própria residência o executaram com quatro tiros. A ocorrência tinha chegado como assalto seguido de morte", revela o oficial.

O comandante afirma que a Polícia percebeu que havia algo de errado, a partir de relatos de que não houve reação por parte da vítima. O delegado Marcos Aurélio e o delegado municipal do Trairi, identificado apenas como Alexandre Saunders, estavam responsáveis pela investigação e descobriram que alguns indivíduos eram do bairro Boa Vista.

“A partir das placas das motocicletas usadas no crime chegamos até uma pessoa que afirmou ter alugado uma moto para dois adolescentes. Ainda a partir da investigação, surgiu a informação de que outros dois adultos identificados como Emerson e Guilherme teriam participado da ação”, revela.

 O major diz ter encontrado um dos adolescentes e conversou com ele na presença da mãe."Ele entregou todo o crime. Disse que a mulher da vítima pagou a eles R$ 1.600 para que matassem o marido dela. A motivação seria porque o marido batia nela costumeiramente e que ela queria se separar e ele não aceitava a separação. Por conta disso, ela começou a procurar pessoas para fazer o crime contra o marido e convidou inicialmente o Emerson", revela.

Conforme o major, a mulher confessou  que recebeu mil reais do esposo para pagar as contas, mas juntou um dinheiro que estava guardado para efetuar o pagamento da quadrilha. 


 Recrutamento da quadrilha

 Emerson fez a articulação com a esposa do professor e convidou Yuri, que por sua vez, convidou os dois adolescentes. No entanto, o responsável pelos disparos é apontado pelo suspeito preso como Yuri, que saiu há um mês da cadeia por crime de roubo e segue foragido.

"O pagamento do grupo foi feito na hora em que executaram o professor. A esposa entregou R$ 700 para Emerson, R$ 700 para Yuri e R$ 100 para cada adolescente. Na cada de um dos jovens foi apreendida a arma do crime e o celular da vítima", afirma o major.  

O delegado municipal do Trairi pediu a prisão e apreensão preventiva dos quatro. Nesta terça foram presos Emerson , Luziana e um dos adolescentes. Ambos foram encaminhados ao presídio da Região. Já o adolescente aguarda a transferência para um centro socioeducativo. Outros dois seguem foragidos.


Além das motocicletas, a Polícia também apreendeu ao revólver calibre 38 utilizado no crime, com quatro munições deflagradas e 23 intactas. 

TAGS