PUBLICIDADE
Noticia

Onça parda encontrada em Reriutaba está saudável de acordo com avaliação inicial

O animal, que está no Zoológico Municipal Sargento Prata, está passando por avaliação de equipe multidisciplinar de mais de 20 profissionais

14:08 | 09/10/2019
A onça está em um recinto reservado, de modo que sofra o mínimo possível de interferências.
A onça está em um recinto reservado, de modo que sofra o mínimo possível de interferências. (Foto: Divulgação/UrbFor)

Mais de 20 profissionais ligados ao Zoológico Municipal Sargento Prata iniciaram uma avaliação detalhada sobre o estado de saúde da onça parda encontrada no último mês de julho no município de Reriutaba. De acordo com a investigação inicial, o animal está saudável e continua sendo acompanhado pelos técnicos do local.

Entre os procedimentos, foram realizadas coletas de sangue, de urina, de material auricular e bucal, além de ultrassom, raio-x, exames oftalmológicos e odontológicos, e biometria completa do animal, na qual foram feitas todas as medições. A equipe ainda tentou coletar o sêmen da onça, mas não teve êxito, pois constatou-se que o animal ainda não possui maturidade sexual.

“A gente conseguiu fazer uma grande operação com várias especialidades veterinárias, o que nos permitiu realizar coletas que vão nos dar um respaldo para fazer um diagnóstico efetivo desse animal. Ele está bem, o procedimento foi um sucesso e a avaliação clínica prévia apontou que o animal está saudável”, explica Estéfanni Pinheiro, médica veterinária do Zoológico.

Uma análise mais específica do quadro do mamífero será feita com uma nova reunião dos especialista para avaliação dos laudos, explica o gerente de parques da Autarquia de Urbanismo e Paisagismo de Fortaleza (Urbfor), Raphael Martins. “A partir desses resultados, conseguiremos chegar a um consenso e decidir se ele tem condições de ir para reabilitação e depois ser libertado na natureza; ou se deverá permanecer em cativeiro por algum motivo”, expõe.

A onça está em um recinto reservado, de modo que sofra o mínimo possível de interferências. Pesquisadores e profissionais interessados na preservação de animais como este e outros atualmente mantidos no Zoológico podem procurar a equipe técnica do equipamento para a elaboração de estudos, rodas de conversas, entre outras ações.

O animal está no zoológico temporariamente mas não está em exposição. Os visitantes, entretanto, conseguem ver o animal e chegar próximo, de acordo com a Urbfor.