PUBLICIDADE
Notícias

Mulher é presa com 7.500 pedras de crack e 550 gramas de cocaína

Se aproveitando de cenário de festa de Santo Antônio, uma mulher suspeita de vender entorpecentes resolveu atuar na comercialização dos ilícitos no local

14:56 | 16/06/2018
NULL
NULL
[FOTO1]
Uma operação de combate ao tráfico de drogas realizada pela Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE) resultou na prisão de uma mulher suspeita de comercializar drogas no município de Quixeramobim. A ocorrência se deu na manhã desta sexta-feira, 15. Com a infratora, foi apreendida uma grande quantidade de cocaína e crack. As informações são da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS).

Durante os últimos dias no município de Quixeramobim, aconteceram os festejos em comemoração ao dia de Santo Antônio, padroeiro da cidade. O que trouxe muitos devotos e aumentou o fluxo de pessoas na localidade. E foi diante desse cenário de festa que uma mulher suspeita de vender entorpecentes resolveu atuar na comercialização dos ilícitos no local.

As composições da Polícia Civil de Quixeramobim e Senador Pompeu receberam, mediante denúncia anônima, as características da suspeita e, em posse das informações, passaram a realizar buscas. Os dados policiais davam conta de que a mulher teria ido de Fortaleza para Quixeramobim, levando as drogas dentro de uma bolsa.

Ao ser localizada pelos agentes de segurança, a suspeita tentou fugir entrando em um estabelecimento comercial onde aconteciam as festividades. Foi feito um cerco policial e a mulher foi presa em flagrante. Com ela, foram aprendidas 7.500 pedras de crack e 550 gramas de cocaína. Equipes do Departamento de Polícia do Interior Sul também participaram da abordagem policial.

Diante dos fatos, Samila Pereira de Lima, de 29 anos, com passagem pela Polícia por porte ilegal de arma de fogo, recebeu voz de prisão e foi conduzida para a Delegacia Municipal de Quixeramobim, onde foi autuada por tráfico de drogas. A Delegacia de Polícia investigará a atuação da infratora com o comércio de drogas no Estado.
  
Redação O POVO Online 
TAGS