PUBLICIDADE
Notícias

MST reivindica moradias durante protesto em Quixeramobim

O bloqueio na rodovia durou uma hora e foi encerrado por volta das 10 horas, quando os manifestantes receberam sinalização de uma reunião com o governo

11:47 | 12/01/2017
NULL
NULL

[FOTO1]

Atualizada às 15h50min

Um grupo do Movimento Sem-Terra (MST) protestou contra o governo na manhã desta quinta-feira, 12, bloqueando a CE-060, que liga Fortaleza a Quixeramobim. No ato, os manifestantes reivindicaram moradias e exigiram a construção de um conjunto habitacional.

O diretor estadual do MST, Antônio Pereira, afirma que o governo prometeu há quatro anos o conjunto habitacional intitulado Maria Tereza, que deveria ser construído próximo ao Hospital Regional do Sertão Central (HRSC). “O governador assinou ordem de serviço para o Maria Tereza, mas não saiu do papel. Até construtora havia sido selecionada”, disse.

Antônio afirmou que o ato também teve o objetivo de protestar contra os “cortes na área da saúde” pelo Governo Federal. A Polícia Rodoviária Estadual (PRE) não divulgou estimativas sobre o protesto, mas a organização informou que cerca de 300 pessoas participaram.

O bloqueio na rodovia durou uma hora e foi encerrado por volta das 10 horas, quando os manifestantes receberam sinalização de uma reunião com o governo, no Palácio da Abolição. A interdição provocou cerca de 2 quilômetros de engarrafamento, ainda de acordo com o MST.

O POVO Online procurou a Secretaria das Cidades, citada pelo MST como a responsável pelo conjunto habitacional prometido. Em nota, a secretaria disse que um projeto para construção de unidades habitacionais pelo Minha Casa, Minha Vida estava em análise na Caixa Econômica, ''quando as contratações do PMCMV foram suspensas''.

"No entanto, ainda no ano passado, com as mudanças das regras do PMCMV, o mesmo foi incorporado a modalidade Entidades. A expectativa do Governo Federal é de que a partir de abril novas contratações possam ser realizadas nessa modalidade", informou a Secretaria das Cidades.

[FOTO2] 

Redação O POVO Online

 

 

TAGS