Empresa que buscava fazer exploração mineral em terra indígena tem pedido de licença indeferido 

PUBLICIDADE
Notícias


Empresa que buscava fazer exploração mineral em terra indígena tem pedido de licença indeferido

Após empresa pedir renovação de licença a Semace, o MPF fez recomendação para que o pedido fosse indeferido pois não observava nova legislação publicada em 2006

16:09 | 02/08/2018
Atualizada às 17h40min
 
Após reunião realizada entre o Ministério Público Federal (MPF) e a Superintendência Estadual do Meio Ambiente (Semace) foi indeferido o pedido de renovação da concessão de licença ambiental à pedreira Canaã, empresa que atuaria em terras da comunidade indígena Pitaguary, em Pacatuba, na Região Metropolitana de Fortaleza.

A Canaã havia pedido para renovar licença ambiental a Semace para atuar em área da terra indígena. Segundo o MPF, a licença seria irregular, uma vez que seria realizada pela superitendência, que é estadual, e as terras indígenas são de responsabilidade da Fundação Nacional do Índio (Funai), órgão federal. Licenças em terras da União são de responsabilidade do Ibama.

O MPF baseou a recomendação em portaria publicada pelo Ministério da Justiça em 2006, que declara as terras tradicionalmente indígenas os espaços ocupados pelos Pitaguary em Pacatuba e Maracanaú.
 
A primeira licença concedida pela superintendência cearense havia sido protocolada anos antes da portaria expressa em 2006. A partir dessa decisão a empresa deve realizar pedido parecido ao Ibama, órgão responsável por este tipo de licença.
TAGS