Participamos do

Intérprete de Libras auxilia atendimento na Delegacia de Defesa da Mulher em Maracanaú

O inspetor também é requisitado pelo Poder Judiciário em situações que se faz necessária a linguagem de sinais
18:11 | Abr. 30, 2020
Autor Redação O POVO
Foto do autor
Redação O POVO Jornal
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O inspetor da Polícia Civil do Ceará, Eliel de Sousa Freitas, lotado na Delegacia de Defesa da Mulher (DDM), em Maracanaú, coloca em prática a interpretação em língua brasileiras de sinais (Libras) para as pessoas que buscam atendimento no município e regiões próximas.

Depois de perceber dificuldade de pessoas surdas, o inspetor começou a ajudar nos atendimentos. Desde 2014, com formação acadêmica em pedagogia e especialização em interprete de libras, ele também é requisitado pelo Poder Judiciário em algumas situações que se faz necessária a interpretação.

O inspetor acompanha pessoas com problemas de audição nos procedimentos de boletim de ocorrência, inquéritos e outras demandas. Ele assina e se responsabiliza pela interpretação. Quando é o condutor da ocorrência ele não pode interpretar, pois é necessária a imparcialidade da tradução. Ele relata que apenas uma vez prendeu uma pessoa surda.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

>>> Policial militar repassa informações sobre auxílio emergêncial em libras

Fernanda Castro, de 37 anos, possui deficiência auditiva e destaca a importância da presença de um profissional que faça a tradução em libras. “Antes encontrava dificuldade, pois encontrava barreira na comunicação, nem entendia e nem fazia me entender. E isso aconteceu com vários amigos surdos, que deixaram de procurar a Polícia porque não existia quem os entendesse, por isso é de suma importância a presença do intérprete”, afirma.

Lidiane do Nascimento, ex-vice presidente da Associação dos Surdos de Maracanaú, a presença do interprete na Delegacia favorece os esclarecimentos das informações repassadas e recebidas e impede injustiças. “Muitas vezes os surdos tinham que levar familiares que não dominam a Libras e que por algum interesse no conflito, levavam suas opiniões pessoais e não do próprio surdo. A maioria dos surdos não domina o português escrito e, às vezes por vergonha de admitir essa condição, assinava mesmo não compreendendo. A presença do policial intérprete traz clareza para o surdo e para a autoridade policial “, enfatiza.

Em decorrência do trabalho, Eliel recebeu homenagem no Dia do Servidor da segurança pública do município de Maracanaú no ano passado. “A presença do intérprete de Libras garante a esse público acessibilidade aos serviços oferecidos e permite a interação com a Polícia Civil”, relata o inspetor e interprete.

A Lei nº 10.436, de 24 de abril de 2002, reconhece como meio legal de comunicação e expressão a Língua Brasileira de Sinais – Libras e outros recursos de expressão a ela associados, é uma língua de natureza visual-motora, com estrutura gramatical própria, constituem um sistema linguístico de transmissão de ideias e fatos, oriundos de comunidades de pessoas surdas do Brasil.

Com informações da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Estado

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags