PUBLICIDADE
NOTÍCIA

Maracanaú apresenta redução na taxa homicídios pelo 15º mês seguido

Os dados de maio de 2017 até julho deste ano fazem parte do levantamento do 14º Batalhão de Polícia Militar (BPM)

22:49 | 06/08/2019
Maracanaú tem redução de taxa de assassinatos
Maracanaú tem redução de taxa de assassinatos(Foto: Fábio Lima)

O município de Maracanaú, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), apresentou uma redução no número de homicídios pelo 15º mês consecutivo. Os dados de maio de 2017 até julho deste ano fazem parte do levantamento do 14º Batalhão de Polícia Militar (BPM). Em outro levantamento, realizado pelo novo Atlas da Violência, anterior a esse período, apontava a cidade de Maracanaú como a mais violenta do Brasil.

O estudo da PM mostra que desde o mês de maio de 2018 há queda nos números de assassinatos em relação ao ano de 2017, quando em maio registrava 21 homicídios. Em 2018 esse número caiu para 14 casos, um percentual de 33%. Já em maio de 2019 foram 11 homicídios, uma redução de 21%,

Segundo o comandante da 1ª Companhia do 14º Batalhão da Polícia Militar (BPM), capitão Michel Albuquerque, os dados são positivos. Os meses de junho e julho apresentaram redução de 60% e 57%, respectivamente. Comparando o ano de 2017 com 2018 a diminuição é de 21%.  

O novo Atlas da Violência, que será divulgado nesta semana, revelará que a cidade de Maracanaú é a mais violenta do País. Proporcionalmente, a taxa de mortes violentas no município é de 145,7 vítimas para cada 100 mil pessoas. Os dados foram obtidos pelo programa Fantástico, da TV Globo, e divulgados no último domingo, 4. O estudo leva em conta informações de 2015 a 2017.

Para o comandante, o que ajudou na diminuição dos crimes foram as operações realizadas na área do Maracanaú e o emprego das equipes de força tática do batalhão e da companhia, além da ativação do policiamento ostensivo em áreas que as manchas vermelhas (que são as principais áreas com homicídios), como Siqueira, Pajuçara, Alto Alegre.

"Nós estamos empregando viaturas operacionais nas manchas vermelhas. A implantação do BPRaio em Maracanaú é independente da companhia, mas tem um papel importante com apreensões e prisões", ressalta Albuquerque. 

Para o capitão , as medidas do sistema penitenciário afetaram na diminuição dos homicídios. Os criminosos que estavam do lado de fora, que possuíam uma maior atuação dentro das unidades, tiveram as ligações cortadas com os líderes que estavam presos. Isso teria impossibilitado as ordens de cometer crimes que aconteciam de dentro dos presídios. "Sem esse contato as facções perderam força", explica.  

A Polícia Civil tem atuado com operações prisões e apreensões de pessoas envolvidas com homicídios e tráfico de drogas em Maracanaú. No dia 20 de maio, um homem suspeito de tráfico de drogas foi preso no bairro Jereissati. Além disso, aproximadamente meio quilo de entorpecente. No dia 14 de junho, os policiais civis do 28º DP realizaram a prisão de um trio suspeito de ter participado do homicídio de um rapaz de 20 anos. Além disso, as investigações dos policiais civis da Delegacia Metropolitana de Maracanaú resultaram no mandado de prisão do homem suspeito de ter matado uma vendedora, ex-namorada do suspeito.