PUBLICIDADE
Ceará
Cariri

Ministério Público cobra esclarecimentos sobre afastamento de professora após aula sobre História Afro

De acordo com denúncia recebida pela PFDC, ela estaria sofrendo represálias. A escola nega que tenha havido afastamento

13:00 | 11/05/2018
Ministério Público solicitou esclarecimentos sobre o afastamento da professora Maria Firmino. (Foto: Arquivo Pessoal)
A Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão (PFDC), do Ministério Público Federal, solicitou à Secretaria de Educação de Juazeiro do Norte esclarecimentos sobre o afastamento da professora Maria Firmino.

A docente ensina na Escola de Educação Infantil e Fundamental Tarcila Cruz de Alencar, em Juazeiro do Norte. De acordo com denúncia recebida pela PFDC, ela estaria sofrendo represálias por ter ministrado uma aula sobre o tema "patrimônio material, imaterial e natural de matriz africana", no dia 20 de abril.

No ofício enviado a Secretaria de Educação de Juazeiro, a PFDC pede explicação sobre o caso ao Ministério Público Federal no prazo de dez dias. A mesma solicitação foi feita à diretora administrativa da unidade de ensino, Cláudia Roberta Bezerra Lima.

Em nota, a Secretaria de Educação de Juazeiro afirma que não foi procurada pela professora, para tratar sobre o possível afastamento de suas funções. Segundo o comunicado, Maria Firmino não compareceu à escola para ministrar aula após o ocorrido. A secretária de educação, Maria Loureiro, afirma que a docente não foi afastada pela diretoria da instituição e não ofereceu oportunidade para diálogo sobre o problema. 

O POVO tentou falar com a professora Maria Firmino, mas não obteve contato até a publicação desta matéria.

Desde 2003, a Lei Federal 10.639 incluiu a obrigatoriedade da temática "História e Cultura Afro-Brasileira e Indígena" no currículo oficial da rede pública de ensino.
 
 
Redação O POVO Online