Participamos do

Febre maculosa: entenda o que é a doença e quais os sintomas

Ceará não teve casos de febre maculosa no ano de 2021, mas a doença foi umas das incluídas em capacitação da Secretaria da Saúde a profissionais da região de Itapipoca
15:30 | Nov. 12, 2021
Autor Ana Louise Gadelha de Melo
Foto do autor
Ana Louise Gadelha de Melo Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

A febre maculosa é uma doença infecciosa aguda, ou seja, aparece em poucos dias e pode se tornar mais grave com o passar do tempo. É causada pela bactéria R.rickettsii, que é transmitida geralmente por carrapatos encontrados em animais. Também é uma das doenças, junto com outras causadas por parasitas, cuja vigilância foi reforçada nesta semana para Agentes de Combate a Endemias (ACEs) e profissionais de saúde da região de Itapipoca

A capacitação foi realizada entre os dias 8 e 11 de novembro pela Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa), por meio da Coordenadoria de Vigilância Ambiental e Saúde do Trabalhador e da Trabalhadora (Covat). O treinamento abrangeu 30 profissionais dos municípios de Amontada, Miraíma, Trairi, Tururu, Uruburetama e Umirim.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

A responsável técnica do Laboratório de Vetores, Reservatórios e Animais Peçonhentos da Sesa, Nayara Pisivan, relatou que o curso contou com materiais teóricos e atividades práticas que enfatizavam os conceitos sobre febre maculosa e as orientações importantes sobre a coleta, o manuseio e envio de potenciais vetores.

Em 2021, o Ceará não registrou casos de febre maculosa, mas, conforme a Sesa, Itapipoca, por ser uma Região Descentralizada de Saúde (ADS) no Estado, estava na lista para receber curso de capacitação. 

Sintomas da febre maculosa

Os sintomas mais comuns da febre maculosa são: quadro febril, cefaleia, dor nas articulações, falta de apetite e disposição. Nas semanas posteriores ao contágio, é comum o surgimento de manchas vermelhas no corpo, o que explica o termo “maculosa”. No caso do agravamento da doença, o sistema nervoso pode ser comprometido, causando meningites, além de pneumonias e complicações nos rins.

O médico infectologista, professor e pesquisador em virologia da Universidade de Fortaleza (Unifor), Kenny Colares, explica que o diagnóstico não é tão fácil de se obter, tendo em vista que essa bactéria é pouco comum na região do Nordeste, sendo mais frequente no Sul e Sudeste.

“Fazer os exames de sangue para obter o diagnóstico é de grande importância. A bactéria é tratada com alguns antibióticos, relativamente simples, que, iniciados precocemente, reduzirão bastante as chances de complicações da doença”, afirma Kenny Colares.

Prevenção da febre maculosa

As formas de prevenção giram em torno, principalmente, do cuidado no contato com a natureza e os animais. Assim, a recomendação é utilizar roupas mais longas e claras, sapatos fechados, para evitar a aproximação de carrapatos, além de uso de repelente de insetos.

O professor da Unifor, Kenny Colares, comenta ainda que não é uma das doenças mais comuns enfrentadas no momento, mas é de suma importância manter a atenção para evitar o contágio e a desinformação sobre o assunto.

Conteúdo sempre disponível e acessos ilimitados. Assine O POVO+ clicando aqui

 

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags