Participamos do

IFCE: professores do campus de Itapipoca paralisam atividades

Durante a paralisação, os docentes pretendem promover atividades que falem sobre as dificuldades enfrentadas pela comunidade acadêmica. Professores chegaram a ter carga horária 50% acima do estabelecido em contrato
09:57 | Fev. 06, 2021
Autor Leonardo Maia
Foto do autor
Leonardo Maia Estagiário
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Atualizada às 21 horas

Professores do Campus de Itapipoca do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE) resolveram paralisar atividades em assembleia encerrada na noite desta sexta-feira, 5. O motivo da decisão é uma relação conflitante com a administração do Instituto, assim como a imposição de carga horária excessiva para os docentes e à comunidade estudantil. O movimento começará na próxima quinta-feira, 11.

Em contato com O POVO, um professor do campus, que terá sua identidade preservada, contou sobre a “dificuldade de diálogo” com a reitoria. Ele falou, por exemplo, sobre a situação durante a pandemia. Quando os alunos relatavam que precisavam de uma carga horária menor durante a crise na saúde, a administração impôs um horário ainda maior que o habitual.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

“Os professores não são consultados, a forma como as decisões são tomadas são bastante autoritárias. Devíamos ter mais cuidado com a pandemia, mas foi o contrário: foi imposto uma rotina muito mais dura”, explicou o professor, afirmando que a carga horária maior foi uma tentativa de recuperar o período em que o IFCE ficou com o calendário suspenso — entre março e junho de 2020.

Leia Mais | Professores do Campus Itapipoca do IFCE anunciam suspensão de atividades a partir desta quarta

+ Servidores do IFCE decidem recusar a retomada do calendário acadêmico de forma remota (Junho/2020)

+ IFCE inicia semestre com calendário acadêmico sob questionamentos (Novembro/2020)

A decisão foi tomada em assembleia virtual nesta sexta-feira.
A decisão foi tomada em assembleia virtual nesta sexta-feira. (Foto: Divulgação/SindisIFCE)

Entre os professores, alguns chegaram a ter carga horária quase 50% maior do que estabelecido em contrato, segundo a fonte ouvida pela reportagem. “A carga horária excessiva é uma proposta que vai contra a ideia do instituto federal, de ter o tripé ensino, pesquisa e extensão. Além do tempo em sala de aula, os professores também se envolvem em outras atividades, que completam a formação”, explica.

Durante a paralisação, que começa na próxima quinta-feira, os professores pretendem promover atividades para conscientizar estudantes e pais sobre a situação que a comunidade acadêmica enfrenta. Na reunião, os docentes ainda deliberaram contra qualquer possível retorno presencial às aulas na instituição sem ampla vacinação de toda a comunidade acadêmica.

A situação é semelhante também em outros campi do IFCE, de acordo com Sindicato dos Servidores do IFCE (SindsIFCE). Segundo a entidade, há um “sentimento de grande insatisfação” com a comunidade acadêmica de outros municípios e o problema com a carga horária excessiva se repete.

A reitoria do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE) negou que haja medidas autoritárias quanto às rotinas de trabalho no campus Itapipoca ou em qualquer das unidades da instituição. Informa ainda que reunião que já foi realizada e afirma que outro encontro está marcado para a próxima segunda-feira, 8. Contudo, a paralisação foi marcada antes desse novo encontro, o que a reitoria diz ser motivo de surpresa.

"O IFCE permanece aberto ao intercâmbio de ideias e direcionamentos, levando em consideração todas as variáveis envolvidas em um período desafiador e priorizando a satisfação da nossa força de trabalho, juntamente com o desenvolvimento dos nossos alunos", acrescenta a nota. Leia a resposta do IFCE na íntegra.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags