PUBLICIDADE
Noticia

Operação do MPCE apreende dinheiro que seria distribuído por candidatos a vereador em Ipu

Cerca de R$ 25 mil em cédulas, celulares, computadores e outros materiais foram apreendidos nas residências de quatro candidatos. Três deles tentam a reeleição. Um dos sujeitos foi preso em flagrante por porte ilegal de arma de fogo

13:06 | 14/11/2020
Operação do Ministério Público Eleitoral para cumprimento de mandados de busca e apreensão aconteceu na manhã deste sábado, 14
 (Foto: Divulgação/Ministério Público do Estado do Ceará)
Operação do Ministério Público Eleitoral para cumprimento de mandados de busca e apreensão aconteceu na manhã deste sábado, 14 (Foto: Divulgação/Ministério Público do Estado do Ceará)

Busca nas residências de quatro candidatos ao cargo de vereador de Ipu - município cearense a 296 Km de Fortaleza - resultou na apreensão de aproximadamente R$ 25 mil em cédulas, celulares, computadores e outros materiais. Três já são parlamentares e tentam se reeleger. Um deles foi preso em flagrante por porte ilegal de arma de fogo.

Operação foi deflagrada pelo Ministério Público Eleitoral da 21ª Zona na manhã deste sábado, 14, com autorização do juiz Denys Martins. Mandados foram cumpridos com o apoio das Polícias Federal e Civil. Identidade dos envolvidos ainda não foi revelada.

De acordo com o Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE), as investigações, coordenadas pelo Promotor de Justiça Ítalo Souza Braga, têm “indícios de prática de crimes eleitorais”. Compra de votos e oferta de serviços particulares a eleitores - pagos com recursos dos candidatos - são alguns deles.

Segundo o promotor de justiça, a identificação dos candidatos foi preservada para não influenciar o pleito eleitoral. “A investigação continua independentemente da eleição dos mesmos. Caso os crimes sejam comprovados, eles podem perder o mandato”, afirma.

A apuração do caso teve início ainda neste mês, após o conhecimento de fotografias e áudios compartilhados em aplicativos de mensagens por parte das autoridades. A processo continua por meio de levantamento e avaliação das informações, das provas obtidas e dos depoimentos de três testemunhas.

Nos registros, eleitores, em pose com os candidatos investigados, seguram notas de R$ 100 e R$ 5. Veja:

Clique na imagem para abrir a galeria