PUBLICIDADE
NOTÍCIA

Baiano acusado de mais de 200 homicídios pretendia abrir clínica para lavar dinheiro de tráfico no Ceará

Robson Luxúria e sua companheira foram presos em Iguatu nessa terça-feira, 12, em mansão onde levavam vida de luxo. Ele é chefe de facção criminosa da Bahia

18:32 | 13/01/2021
O acusado permanecerá preso em solo cearense até ser recambiado para a Bahia (Foto: Divulgação/SSPDS)
O acusado permanecerá preso em solo cearense até ser recambiado para a Bahia (Foto: Divulgação/SSPDS)

Preso no Ceará, Robson de Jesus, o Robson Luxúria, baiano que estava foragido e é apontado como atuante em mais de 200 homicídios na Bahia, estava planejando abrir uma clínica de estética no município de Iguatu, no Centro-Sul cearense, para lavar dinheiro oriundo do tráfico de drogas. Ele e a companheira, Rafaela Morgana da Silva de Jesus, foram presos nesta terça-feira, 12, após mais de três meses de investigação da Polícia cearense. Eles estavam entre os mais procurados pelas forças de segurança baianas.

Leia também| De onde surgiu e como funciona a primeira facção criminosa cearense

A dupla estava tentando se estabelecer no Ceará, onde chegaram há cerca de três meses, de acordo com o delegado Marcos Sandro, titular da Delegacia Regional de Iguatu, onde o casal foi preso. A lavagem de dinheiro no estabelecimento estético serviria para a facção criminosa da Bahia da qual Robson Luxúria é apontado como chefe.

Ele foi rendido e preso em uma mansão localizada no bairro Planalto. De acordo com a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), Robson foi transferido, ainda na terça-feira, de Iguatu para um local não divulgado por motivos de segurança.

O acusado permanecerá preso em solo cearense até ser recambiado para a Bahia. Na prisão, foram apreendidos 47 relógios importados, joias, aparelhos de última geração, documentos, dinheiro em espécie e 29 chips celulares. Foi apreendida também uma adaga, arma que seria símbolo de poder dentro da organização criminosa a qual ele pertence. Em Iguatu, Robson e sua companheira havia comprado uma Hilux cinza no valor de R$ 210 mil, com pagamento feito à vista.

Prisão

A prisão foi realizada de forma conjunta entre as polícias Civil e Militar do Ceará, por meio da Delegacia Regional de Iguatu e o Departamento de Polícia Judiciária do Interior Sul (DPJI Sul). Policiais chegaram ao esconderijo do criminoso após os agentes interceptarem um veículo que era utilizado pelo casal. No carro, estava Rafaela, que levou os policiais até a residência onde se encontrava o acusado. Ele se apresentava com nome falso no Ceará.