PUBLICIDADE
Notícias

Audiência de acusados de matar três mulheres em Horizonte é cancelada

Julgamento foi remarcado para o início de setembro por falta de defensores públicos. Réus são acusados de estupro e latrocínio

13:43 | 22/08/2014

A audiência para instrução e julgamento do triplo homicídio de mulheres ocorrido em Horizonte, no último dia 28 de maio, foi cancelada na manhã desta sexta-feira, 22, por falta de defensores públicos. Os réus Roni Gomes Leandro de Oliveira e Diego Gonçalves agora serão julgados no início de setembro, conforme o Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE).

Segundo o TJCE informou em nota, foi encaminhado no dia 1° de agosto um ofício à Coordenadoria das Defensorias Públicas do Interior com a solicitação de defensor para os réus, que seriam julgados nesta sexta. Informado de que a coordenadoria não possuía defensores públicos disponíveis, o juiz decidiu adiar a audiência para o início de setembro.

A Secretaria da Justiça e Cidadania do Estado do Ceará (Sejus-Ce) informou ao O POVO Online que os dois réus foram transferidos da penitenciária de Itaitinga para o fórum de Horizonte, nesta manhã. Com o adiamento, eles retornaram à unidade e deram entrada no local às 13 horas.

 

Em nota, a assessoria de comunicação da Defensoria Pública do Ceará confirma a ausência de defensores em Horizonte. Segue nota na íntegra:

"A Defensoria Pública do Estado do Ceará possui 437 cargos de defensores públicos, sendo que, no momento, apenas 288 destes cargos encontram-se preenchidos. Atualmente, 52 municípios contam com atuação de defensores públicos, o que representa aproximadamente 28% dos municipios cearenses.
Devido a isso, várias cidades do interior do Estado, a exemplo de Horizonte, encontra-se sem o serviço da Defensoria Pública.
Diante da situação, bem como da previsão constitucional de que nos próximos 8 anos todas as comarcas deverão contar com o atendimento da Defensoria Pública, existe processo administrativo em andamento para realização de concurso público, ainda neste ano, para o preenchimento de 60 vagas de defensores públicos.
Como forma de contornar esta realidade, a Defensoria Pública está formando uma força tarefa para analisar os processos de presos provisórios e condenados em comarcas do interior do estado. A ação terá início em setembro e será executada pelo Núcleo de Atendimento ao Preso Provisório e às Vítimas da Violência (NUAPP) e o Núcleo Especializado em Execução Penal (NUDEP)".
 

[SAIBAMAIS 1] Crime
As vítimas, Maria Janaína dos Santos Nunes, 18 anos, Márcia dos Santos Alves, 35 anos, e uma adolescente de 17 anos trabalhavam em uma ótica no município de Pacajus. Elas foram encontradas mortas na manhã do dia 28 de maio com lesões de pauladas e golpes de faca pelo corpo, segundo a Polícia de Horizonte.

Sete homens, que viviam em um abrigo religioso próximo ao local onde as mulheres foram achadas, prestaram depoimento e realizaram exames de DNA. Após investigações, Roni e Diego foram presos e, posteriormente, confessaram o crime.

Diego já havia respondido por dois assaltos a mão armada e tinha um mandado de prisão em aberto; Roni havia respondido por homicídio qualificado. Os dois estão presos na unidade de Itaitinga e vão responder por latrocínio e estupro.

Redação O POVO Online

TAGS