Auditores fiscais agropecuários intensificam ações para conter foco de peste suína clássica
PUBLICIDADE
Notícias


Auditores fiscais agropecuários intensificam ações para conter foco de peste suína clássica

De acordo com Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) não há riscos de disseminação da doença

12:22 | 16/10/2018
Após a confirmação de  um foco de peste suína clássica (PSC) no último dia 6 de outubro no município de Forquilha, um grupo de auditores fiscais federais agropecuários passou a atuar em um plano de contenção do surto. O objetivo é controlar a doença que atinge apenas os suínos. O foco teria surgido em uma propriedade de criação familiar que foi isolada.
 
"A região está há mais de 500 quilômetros de uma zona livre de peste suína clássica e vamos fazer o isolamento para que nenhum animal da área contaminada possa chegar à zona livre", diz o auditor fiscal agropecuário Ives Tavares.
 
A peste suína clássica já existe no Brasil, no entanto o último caso registrado tinha sido em 2009. Considerada mais agressiva, a peste suína africana (PSA) foi noticiada recentemente pelo surgimento em países da Europa, África e Ásia. A Organização Internacional de Saúde Animal (OIE) considerou o Brasil livre do vírus por não apresentar casos desde 1984 e 1992.
 
"Os auditores fiscais federais agropecuários foram decisivos para a contenção da peste suína africana e para a manutenção do status de zona livre. Estamos trabalhando para que o Brasil também atinja este status no caso da peste suína clássica. Esse surto agora está dentro da área não livre e estamos trabalhando para que seja saneada o mais breve possível", frisa o presidente do Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais Federais Agropecuários (Anffa Sindical), Maurício Porto.
 
[SAIBAMAIS] 
 
No Brasil, 15 estados são reconhecidos pela OIE por serem zonas livres da PSA, possibilitando na exportação.
 
"Estamos investigando e cadastrando as propriedades da região, fazendo análise clínica dos animais para saber se estão sadios e enviando este material para o Laboratório Nacional Agropecuário para realização de exames, além de fiscalizar o trânsito de animais, que está proibido na área atingida pelo surto", diz Ives Tavares.
 
De acordo com Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) não há riscos de disseminação da doença. 
 
Sobre os Auditores Fiscais Federais Agropecuários
 
O Anffa Sindical é a entidade representativa dos servidores que atuam como auditor fiscal federal agropecuário. Os profissionais possuem formações nas áreas de engenharia agrônoma, farmácia, química, medicina veterinária e zootecnia e exercem as funções a fim de garantir qualidade de vida, saúde e segurança alimentar para as famílias brasileiras.
 
Existem 2,7 mil fiscais na ativa, que atuam nas áreas de auditoria e fiscalização, desde a fabricação de insumos, como vacinas, rações, sementes, fertilizantes, agrotóxicos etc., até o produto final, como sucos, refrigerantes, bebidas alcoólicas, produtos vegetais (arroz, feijão, óleos, azeites etc.), laticínios, ovos, méis e carnes. 
 
Redação O POVO Online 
TAGS