Participamos do

Sem prazo para término, trecho da CE-010 continua interditado após oito meses

Motoristas que transitam pela região precisam fazer caminho alternativo pela avenida José Moraes de Almeida, que fica sobrecarregada com o trânsito intenso
11:57 | Fev. 05, 2020
Autor Marília Freitas
Foto do autor
Marília Freitas Estagiária do O POVO Online
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Atualizada às 16h03min

A interdição de um dos trechos da rodovia CE-010 continua trazendo transtornos para os moradores e para os motoristas que trafegam diariamente pelos arredores da via localizada no Eusébio, município da Região Metropolitana de Fortaleza (RMF). As obras fazem parte da construção de um viaduto no 4º Anel Viário sobre a CE-040. O trecho seria inicialmente bloqueado por 15 dias, com a obra da duplicação da rodovia sendo finalizada até o fim de 2019. Segundo moradores, as obras estão paralisadas há oito meses. A perspectiva do Governo do Estado é de que haja retomada das intervenções ainda em fevereiro, mas sem data definida para finalização.

Com o bloqueio, os motoristas transitam entre a rua César Sá e outra rua improvisada sem pavimentação, seguem à direita pela rua Luis Simão e à esquerda pela avenida José Moraes de Almeida. Via dupla, a avenida tem sobrecarga de trânsito. Motoristas, motociclistas e ciclistas disputam espaço com caminhões de cargas pesadas que deveriam transitar pelo trecho que está interditado.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

O ciclista Luis Mateus transita todos os dias pela avenida no período da manhã e da tarde. Ele considera o trecho “intransitável”. O principal problema para Luís é dividir o espaço com carretas e caminhões de carga. “Eu tenho que andar na margem, eles passam muito perto da gente”.

Com o bloqueio, a alternativa para os motoristas é de transitar pela avenida José Moraes de Almeida.
Com o bloqueio, a alternativa para os motoristas é de transitar pela avenida José Moraes de Almeida. (Foto: MAURI MELO/O POVO)

Marcos Lopes é caminhoneiro há 20 anos e diariamente passa pela rua improvisada que dá acesso à avenida. Sem pavimentação devida, veículos atolam constantemente no trecho. É o caso do caminhão de carga que Marcos dirigia. “Era bem melhor antes da obra, que dura quase oito meses.” Quando não passa pelo local, o caminhoneiro segue pela BR-116. Apesar do problema, os motoristas preferem seguir pela rua improvisada a outras ruas que também destinam para a avenida. O medo de assaltos e diversos outros problemas impedem o trânsito alternativo em outras rotas.

De acordo com a Secretaria da Infraestrutura do Ceará (Seinfra-CE), os motoristas que trafegam pelo local deverão acessar a CE-040 dobrando à direita na rua Isabel Tavares e, em seguida, à esquerda na avenida José Moraes de Almeida.

Sem pavimentação, caminhões atolam na rua improvisada que dá acesso à avenida José Moraes de Almeida.
Sem pavimentação, caminhões atolam na rua improvisada que dá acesso à avenida José Moraes de Almeida. (Foto: MAURI MELO/O POVO)


Em nota enviada ao O POVO, a Superintendência de Obras Públicas (SOP) informou que se faz necessário manter a interdição do trecho para viabilizar a construção das pistas da passagem superior do equipamento. A SOP não informou um prazo para a conclusão dos serviços, mas informou "que está aguardando posicionamento das empresas a respeito de ajuste na composição do consórcio responsável". A pasta destaca que a expectativa é de que o ritmo das obras seja retomado ainda em fevereiro. "A conclusão dos viadutos é prioridade, para minimizar os transtornos".

O POVO também procurou a Polícia Rodoviária Estadual (PRE), responsável pelo fluxo da avenida José Moraes de Almeida, mas não obteve resposta até então.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags