PUBLICIDADE
NOTÍCIA

Criminoso estudou rotina de empresário no Eusébio antes de latrocínio

Três suspeitos foram presos pela Polícia Civil

19:53 | 16/12/2019

O homem considerado pela Polícia Civil como responsável pelo latrocínio (roubo seguido de morte) que vitimou o empresário estrangeiro Walter Max Voigtlander, de 85 anos, acompanhou a rotina da vítima, que era proprietária de um sítio no Eusébio, Região Metropolitana de Fortaleza (RMF).

Foram presas três pessoas suspeitas, sendo um homem e duas mulheres. O homem, identificado como Miguel da Silva Correia, 24, é filho de um caseiro vizinho do empresário. As duas mulheres são a companheira de Miguel, Maria Luana Nicolau Pereira, 23, e a amiga do casal, Vanesca Silva Oliveira, 22. Os três não têm antecedentes criminais.

O trio esperou o momento que o idoso retornava para casa com o dinheiro dos negócios que mantinha no Eusébio. Eles entraram pelo sítio vizinho por meio de um buraco e, dentro da casa, esperaram o empresário. Quando o idoso chegou, houve luta corporal e a vítima tentou se defender com um canivete. Com a ajuda das duas mulheres, o homem conseguiu dar um golpe no estrangeiro. Em seguida, a vítima foi amordaçada e amarrada. As informações são do delegado Everardo Lima.

Depois que imobilizaram o empresário, que tem nacionalidade alemã e canadense, eles roubaram R$ 139 em dinheiro, frutas e sardinha. A chave da casa localizada dentro do sítio estava no bolso do estrangeiro e os criminosos entraram na residência com o objetivo de encontrar objetos de valor, mas encontraram apenas um celular. Em depoimento à Polícia Civil, Miguel disse que foi até ao sítio com objetos para amarrar o idoso, no entanto ele afirma que não tinha a intenção de matá-lo.

Após a confissão dos três suspeitos, segundo a Polícia Civil, as circunstâncias do fato serão apuradas para concluir o inquérito policial, que será encaminhado ao Poder Judiciário. Os três foram indiciados por latrocínio em concurso de pessoas.