PUBLICIDADE
NOTÍCIA

Homenagens serão prestadas ao monsenhor Ágio nesta quinta-feira no Crato

Natural de Assaré, padre Ágio fez da música seu instrumento de evangelização. Seu corpo será sepultado às 16 horas, na Capela Nossa Senhora das Graças, em Belmonte

21:28 | 12/06/2019
O título de
O título de "monsenhor" veio em 2003, por indicação do então bispo diocesano, Dom Fernando Panico.(Foto: Diocese do Crato/Divulgação)

Homenagens serão prestadas ao monsenhor Ágio Augusto Moreira (1918-2019) com orações e missas na manhã e tarde desta quinta-feira, 13. Natural de Assaré, a 473,8 quilômetros da Capital, o monsenhor faleceu na madrugada desta quarta-feira, 12, aos 101 anos, em sua residência no município do Crato, a 511,7 quilômetros de Fortaleza. O falecimento se deu por causas naturais.

O corpo do monsenhor Ágio será velado durante a manhã da quinta no Auditório da Sociedade Lírica do Belmonte (Solibel), no Crato. O sepultamento será na Capela Nossa Senhora das Graças, em Belmonte, a pedido do próprio monsenhor, às 16 horas. Ele será transladado para o local após a missa de 15 horas, na Vila da Música (av. José Horácio Pequeno, nº 1366 - Novo Lameiro, Crato), presidida pelo bispo da diocese do Crato, dom Gilberto Pastana.

Confira horários das missas e orações:

13 de junho

7h - Será feita a Oração das Laudes, no Auditório da Solibel.

10h - Será realizada missa de corpo presente presidida pelo padre Joaquim Ivo no Auditório da Solibel. Os funcionários da cúria diocesana de Crato e fieis da Paróquia Nossa Senhora Aparecida prestarão as últimas homenagens. Após a celebração, o corpo será transladado para a quadra da Vila da Música.

15h - Será realizada missa presidida pelo bispo da diocese do Crato, dom Gilberto Pastana, na quadra da Vila da Música. Logo após, haverá o sepultamento dentro da Capela Nossa Senhora das Graças, em Belmonte.

A música foi seu instrumento de evangelização e teve como inspiração o canto dos apanhadores de algodão. O título de "monsenhor" veio em 2003, por indicação do então bispo diocesano, Dom Fernando Panico. Foi precursor da Escola de Educação Artística Heitor Villa Lobos e da Orquestra Sinfônica Padre Davi Moreira, ambas voltadas à formação em música. Aos 100 anos, lançou o livro “Padre Cícero Romão Batista: O maior líder espiritual do Nordeste Brasileiro”.

Em 2014, o monsenhor foi entrevistado para a segunda edição da revista O POVO Cariri. No último dia 18 de dezembro de 2018, padre Ágio havia completado 75 anos de vida sacerdotal.

 

 Redação O POVO Online