PUBLICIDADE
NOTÍCIA

Idoso passa mal na direção e atropela cinco pessoas em fila de lotérica em Crateús

Duas das vítimas eram guardas municipais alocados para auxiliar na organização de filas e segurança da lotérica, por causa das lotações em período de saque do auxílio emergencial

Matheus Facundo
20:28 | 04/05/2020
Acidente ocorreu na manhã desta segunda-feira, 4, em um das vias principais do município
Acidente ocorreu na manhã desta segunda-feira, 4, em um das vias principais do município (Foto: Divulgação/Guarda Municipal de Crateús)

Após sofrer um mal súbito enquanto dirigia, um idoso de 70 anos perdeu o controle da direção e atropelou cinco pessoas em uma fila de casa lotérica em Crateús, no interior do Ceará. O homem vinha do município vizinho de Poranga para realizar um procedimento médico. O caso ocorreu na manhã desta segunda-feira, 4, na rua Dom Pedro II, uma das vias principais da cidade.

Duas das vítimas eram guardas municipais alocados para auxiliar na organização de filas e segurança da lotérica, por causa das lotações em período de saque do auxílio emergencial. De acordo com o inspetor Gomes, comandante da Guarda Municipal de Crateús, um dos agentes, identificado como Wescley, sofreu um trama na cabeça e permanece internado no Hospital São Camilo. O outro guarda teve escoriações leves e foi liberado.

As outras três vitimas atropeladas foram socorridas e não correm perigo de vida. Uma idosa do distrito de Realejo fraturou o antebraço, um outro senhor do distrito de Sucesso sofreu uma pancada na cabeça e a terceira pessoa era um vendedor ambulante que também estava na fila e sofreu ferimentos leves.

Conforme o inspetor Gomes, o homem de 70 anos causador do acidente era cardíaco e estava a caminho de uma unidade de saúde de Crateús para realizar uma hemodiálise. Após a ocorrência, ele foi levado a um hospital, onde foi realizado um teste de bafômetro que apontou negativo. O motorista, então, foi conduzido à delegacia municipal, onde prestou depoimento e foi liberado.

A Guarda Municipal escoltou o idoso para o local do procedimento médico dele. A família foi acionada e o levou para casa após o término da hemodiálise. Segundo o inspetor Gomes, o motorista deve responder judicialmente por não ter um acompanhante no veículo, devido a sua condição de saúde.