PUBLICIDADE
Notícias

Segundo ônibus é incendiado em Caucaia em menos de 24 horas

A Polícia Civil investiga possível relação entre os dois ataques, mas ainda não tem informações sobre os suspeitos da primeira ação

08:59 | 29/03/2016

Dois ônibus foram incendiados, nos últimos dois dias, em Caucaia, 15 km de Fortaleza. O primeiro ataque foi registrado na noite de domingo, 27, e o segundo na noite da última segunda-feira, 28, quando três suspeitos de atear fogo no coletivo foram capturados. O trio foi levado à Delegacia Metropolitana da cidade.

Segundo informações da 1ª Cia. do 2º Batalhão de Polícia Comunitária, homens armados subiram no primeiro coletivo, na rua Juracir Sampaio Pontes, anunciaram o assalto e atearam fogo no veículo, por volta das 21h15min. “Houve perseguição, mas eles [suspeitos] escaparam e abandonaram um Corsa na fuga. Ninguém ficou ferido porque o motorista e o cobrador conseguiram ajuda para controlar as chamas e evitar um incêndio maior”, informou o sargento identificado apenas como Anastácio.

[SAIBAMAIS 2] Dentro do veículo foram localizados celulares roubados dos passageiros do ônibus, ainda conforme a Polícia Comunitária. Na noite de segunda-feira, 28, um homem e dois adolescentes anunciaram um assalto no segundo coletivo, na avenida Dom Almeida Lustosa, no bairro Jurema.

O sargento Carlos Rodrigues, do Comando Tático Motorizado (Cotam), informou que a ação foi registrada às 21h30min, quando o trio armado subiu no ônibus, despejou gasolina no veículo e fugiu em um Fox prata roubado. Os dois adolescentes de 17 anos e o jovem de 18 anos, identificado como Douglas de Sousa, foram interceptados pelo Cotam.

“O Fox havia sido roubado de um mulher e antes deles subirem no ônibus já haviam assaltado dois rapazes, levando relógio e celulares. Ainda aprendemos pistola, por isso eles devem também responder pelos crimes de assalto, porte ilegal de arma de uso restrito e receptação”, detalhou Rodrigues.

A Polícia Civil investiga possível relação entre os dois ataques, mas ainda não tem informações sobre os suspeitos da primeira ação. 

TAGS