PUBLICIDADE
Ceará
DIMAS E KÁTIA

"Não vamos desistir deste caso", diz Luísa Mell sobre ursos de Canindé

A ativista e o deputado federal eleito Célio Studart pretendem recorrer ao governador Camilo Santana (PT)

22:50 | 30/11/2018
Luísa Mell e Célio Studart em reunião na Semace
A ativista Luísa Mell e o vereador Célio Studart em reunião na Semace. (Foto: divulgação)
A ativista Luísa Mell, presidente do instituto que leva seu nome, pretende manter a luta pela transferência dos ursos Dimas e Kátia do zoológico de Canindé, distante 121 quilômetros de Fortaleza. A Superintendência Estadual do Meio Ambiente (Semace) autorizou, nesta sexta-feira, 30, a permanência dos ursos Dimas e Kátia no zoológico São Francisco, em Santuário no Canindé.
 
"Nós não vamos desistir desse caso até porque esses animais não podem se defender sozinhos", disse Luísa Mell. Ela  participou da reunião e considerou "absurdo e vergonhoso" o relatório apresentado pela Semace. "Foi feito por um veterinário especialista em cães e gatos, e que não apresentou nenhuma justificativa. Ele falou que os animais de um clima extremamente frio estão adaptados ao calor".
 
Kátia, uma das ursas de Canindé
(Foto: Hellen Farias/divulgação)
Indignada com a situação, a ativista não vê justificativa em manter os ursos no zoológico de Canindé. “O que me parece é que eles são vítimas da ganância humana, já que foram explorados a vida inteira, servindo de atração no zoológico. O que a gente pretende é falar com o governador (Camilo Santana), já que ele é autoridade máxima, acima do secretário. Esperamos que ele nos atenda em breve". Caso seja preciso, Luísa Mell afirma que o último recurso será por via judicial.  

"Foi bastante frustrante para quem quer o melhor para os animais", opinou o vereador Célio Studart (PV), também presente à reunião. O secretário do Meio Ambiente do Estado, Artur Bruno, representantes da Semace e do Conselho Regional de Medicina Veterinária (CRMV) também participaram.
 
Conforme relatou o vereador, a apresentação do parecer da Semace junto ao CRMV foi “desorganizada, de forma apressada”. As vistorias feita pelos órgãos nos dias 20 e 23 de novembro ao zoológico de Canindé analisaram as condições do ambiente e a saúde dos animais. Foi a partir disso que foi apresentado relatório em reunião desta sexta. “Disseram apenas para o zoológico buscar-se adaptar. A sensação que ficou para nós é que o Governo do Estado lavou as mãos para uma questão de relevância, de impacto para as pessoas que gostam dos animais não só no Ceará como no Brasil todo”.
 
“Foi bastante frustrante o momento, pois havia muitos protetores, inclusive a Luísa Mell, que fez uma grande campanha para poder arrecadar fundos e levar esses animais a um um local propício”, ressalta Célio Studart. O Instituto Luísa Mell realizou estudo sobre as condições da cidade e foi concluído sobre o clima inadequado da região de Canindé.
 
Luísa Mell e Célio Studart
Luísa Mell e Célio Studart. Foto: divulgação.
 
“Se tem uma proposta apresentada pelo instituto, é lamentável a Semace e a Sema lavarem as mãos no lugar de apresentar um parecer mais completo, exato e compreensível com a situação dos ursos”, reclamou o vereador.
 
Diálogo
 
Apesar da decisão pela permanência dos animais no zoológico até o momento, Célio Studart ainda comenta que as autoridades se mostraram abertas a manter o diálogo e a mudar de ideia, caso haja contestação que julguem convincente. “Eu me sinto no interesse e total disponibilidade para conversar com o governador do Estado para que ele busque uma solução política para essa questão, para que os ursos possam ser transferidos”. Na reunião, ficou decidido, então, ser apresentado relatório contra-argumentando o parecer emitido pela Semace.

LARISSA CARVALHO