Termo de Uso Política de Privacidade Política de Cookies Conheça O POVO Trabalhe Conosco Fale com a gente Assine Ombudsman
Participamos do

Servidores do INSS de Camocim paralisam atividades nesta terça-feira

Paralisação ocorre por tempo indeterminado. Reforma do prédio está atrasada há mais de três anos
16:35 | Jan. 11, 2016
Autor Rubens Rodrigues
Foto do autor
Rubens Rodrigues Repórter do OPOVO
Ver perfil do autor
Tipo Notícia
Os servidores do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) de Camocim vão paralisar as atividades a partir desta terça-feira, 12. A categoria denuncia o risco de desabamento da agência. Segundo os trabalhadores, o prédio foi desocupado há quatro anos para reforma que deveria ter sido concluída em julho de 2012, mas a reestruturação não ocorreu. O INSS funciona até esta segunda, 11, em um galpão cedido pela prefeitura do município.
 
O principal motivo da paralisação é a falta de condições de trabalho, agravadas com o período de chuvas. Os médicos peritos do INSS atendem a população em um galpão de uma estação ferroviária desativada. O ambiente, segundo os servidores, é insalubre, precário e sem acessibilidade. Não bastasse, o teto da sala de tributação da Prefeitura Municipal de Camocim, localizado ao lado do banheiro do galpão usado pelos servidores e assistidos, ter desabado.
 
De acordo com a diretora do Sindicato dos Trabalhadores Federais em Saúde, Trabalho e Previdência Social no Estado do Ceará (Sinprece), Carmem Marques, a categoria já denunciou o mau estado da agência, com rachaduras no teto e nas paredes, além de fiação elétrica e instalação hidráulica comprometidas, para o Ministério Público Federal (MPF), ao Ministro da Previdência, a Direção Geral do INSS (Brasília), a Superintendência Regional (Recife) e a Gerência-Executiva de Sobral, mas ainda não houve resolução.
 
"O que nós queremos é que tirem o pessoal do galpão. No primeiro momento da reclamação fizeram uma divisória de gesso, mas os médicos peritos fazem exames sem nenhuma condição estrutural. É um estado de calamidade", afirma a diretora.
 
[SAIBAMAIS2]Em dezembro, o Sinprece se reuniu com os gerentes executivos do INSS de Fortaleza (Júlio César Araújo Sousa), do Cariri (Regnoberto Gomes de Sales), de Sobral (Andrey Almeida) e o superintendente regional Ronei Tosi. "A desculpa é sempre a mesma", lamenta Carmem Marques. "Eles dizem apenas que já está sendo providenciado e o prédio estará pronto em seis meses. E não tem ninguém lá trabalhando, está tudo do mesmo jeito". 

O Ministério da Previdência Social, em Fortaleza, diz que o atraso se deu porque a empresa que venceu a licitação para reformar o prédio faliu no decorrer do processo. "A mesma (empresa) paralisou a obra e, após os prazos previstos em lei para aplicação de multa e/ou rescisão do contrato, retomou a construção em 2014. Por fim, devido ao não cumprimento de prazos e não conclusão da obra, o contrato com a empresa foi rescindido".
 
Ainda segundo o Ministério, o novo processo de licitação para contratar uma companhia que continue a reforma está em fase de "aguardando ateste orçamentário". Logo que autorizado, a licitação escolherá empresa para concluir cerca de 1/3 da obra para que servidores e segurados da Previdência Social em Camocim retornem à sede original da Agência. 
 
Orçada em R$ 1.806.370,42, a obra iniciada em 12 de março de 2012 pela Construtora Montserrat Engenharia e Empreendimentos, deveria ter sido concluída no dia 10 de julho do mesmo ano. 
 
O POVO Online tentou um posicionamento da gerência da região Norte do INSS, que atende pela área, mas não houve atendimento até a publicação da matéria.

Em nota, o Sinprece repudia a "situação de calamidade vivenciada em Camocim" e afirma que reitera as denúncias aos órgãos responsáveis.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Ceará soma 33 motoristas de aplicativo assassinados desde 2017

INSEGURANÇA
15:20 | Ago. 17, 2021
Autor Lais Oliveira
Foto do autor
Lais Oliveira Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O Ceará viveu o ano mais violento para motoristas de aplicativo em 2020, quando foram registrados 16 homicídios entre os profissionais. Após protestos e mobilização da categoria, ações de segurança foram reforçadas. Neste ano, até agosto, um motorista foi morto e dois feridos a bala. Desde 2017, pelo menos 33 trabalhadores da categoria foram assassinados no Estado.

Apesar da redução de casos em relação ao ano passado, a Associação dos Motoristas de Aplicativos do Estado do Ceará (Amap-CE) ainda estima que, diariamente, ocorrem pelo menos 11 assaltos a motoristas e três roubos a veículos na categoria em Fortaleza e na Região Metropolitana (RMF). A organização calcula que cerca de 52 mil motoristas de app atuam na Grande Fortaleza hoje.

De acordo com Rafael Keylon, diretor Amap-CE, a projeção da entidade é elaborada por meio de monitoramento de grupos de motoristas e de informações de empresas seguradoras de proteção veicular. O diretor da associação avalia que a redução significativa de homicídios contra motoristas em 2021 está relacionada à operação Corrida Segura, resultado de diálogos entre entidades que representam a categoria e a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS).

“Isso contribuiu bastante para a segurança do motorista, inclusive com êxitos de pegar passageiros no carro com armas brancas ou armas de fogo”, comenta. A operação da Polícia realiza abordagens preventivas a carros de aplicativo desde o ano passado na Grande Fortaleza, após ampla repercussão do caso do motorista de aplicativo Alexandre Hablich Fernandes, 32, encontrado morto na BR-116, em Itaitinga, na RMF, após dois dias desaparecido. Ele reagiu a um assalto e foi atingido por disparos de arma de fogo.

A morte de Alexandre somada a outros casos mobilizou os profissionais, culminando com uma manifestação que foi até a sede da SSPDS. “Tivemos a pandemia e as guerras entre facções, aumento dos crimes em geral e a exposição diária dos motoristas provocaram o pior ano para a categoria”, recorda Rafael.

Em nota, a SSPDS afirma que ampliou o número de operações policiais que visam abordar veículos, motoristas e passageiros que utilizam aplicativos, mas não especifica números. A pasta diz ainda que a operação Corrida Segura realiza ações a partir das análises de dados criminais, que apontam os dias, horários e locais onde são registrados os crimes com mais frequência.

“Com base no diagnóstico dos índices criminais, é possível realizar ações de combate aos Crimes Violentos contra o Patrimônio (CVP) nos transportes. Por meio desses levantamentos, estratégias diferentes são implementadas visando intensificar e qualificar as abordagens”, informa a secretaria.

Ainda conforme a pasta, os agentes da segurança pública contam com o auxílio de equipes do policiamento especializado e das câmeras do sistema de videomonitoramento, que cobrem as principais vias da Capital, Região Metropolitana e cidades do interior do Estado.

A pasta reitera ainda que “mantém diálogo permanente com os representantes das empresas de motoristas de aplicativo, no intuito de traçar ações de segurança tanto para os profissionais quanto para os passageiros.” O POVO solicitou dados oficiais sobre homicídios e assaltos envolvendo motoristas de aplicativo no Estado, mas a pasta não retornou com as estatísticas.


Categoria cria rede de monitoramento própria

Desde 2017, os motoristas do Ceará começaram um movimento de união para criação de grupos de monitoramento e protocolos de segurança. Um dos dispositivos utilizados pela categoria é o aplicativo Drive Social, que dispõe de um botão de emergência (SOS) para acionar outros motoristas e pedir ajuda.

Dados de 1º de janeiro até 16 de agosto deste ano mostram que 33% destes acionamentos foram motivados por assaltos realizados por passageiro. Em segundo lugar (23%), estão ferimentos causados por terceiros, o que pode ser, por exemplo, uma discussão de trânsito que acabou em briga.

Segundo Ramon Gadelha Cruz Marques, desenvolvedor do app e sócio-administrador da startup Drive Labs, o botão é importante para emitir avisos de socorro rapidamente. “Uma vez acionado, o aviso irá tocar imediatamente em todos os motoristas que estiverem online e fizerem parte do mesmo grupo de quem acionou”, explica. No aviso, é possível ver a localização em tempo real do solicitante e informações como: nome, foto, modelo e placa do carro.

Não existe uma ligação direta entre o app e a Polícia no Ceará, mas já ocorrem testes em acordo de cooperação técnica com polícias em outros estados. “Temos colhidos ótimos resultados, especialmente na captura do criminoso no ato, evitando um mal maior e na redução de danos à vida e/ou ao bem do motorista”, completa.

São 20 mil usuários ativos na plataforma hoje no Estado. A plataforma contempla motoristas de aplicativo,táxi, motoboys, entregadores, motoristas de ônibus e até de caminhão e carreta.

O Drive Social também permite a criação de um mapa de calor, que reflete os acionamentos de SOS válidos inferidos por Inteligência Artificial. No mapa de Fortaleza, as manchas seguem mais distribuídas nos bairros próximos às praias e vão de Leste à Oeste. Quanto mais vermelhas e escuras, mas acionamentos válidos ocorreram nessas áreas. A Aldeota, por exemplo, é uma das áreas expressivas.

Mapa de calor com dados de 1º de janeiro até 16 de agosto de 2021. Mostra áreas com mais acionamentos de botão de emergência (SOS).
Mapa de calor com dados de 1º de janeiro até 16 de agosto de 2021. Mostra áreas com mais acionamentos de botão de emergência (SOS). (Foto: Divulgação/Drive Social)

Para Rafael Keylon, da Amap-CE, apesar das iniciativas do poder público, a responsabilidade pela segurança dos motoristas continua recaindo sobre eles próprios. “Sempre orientamos que não entre em rua sem saída, não pegue viagens por aplicativos não regularizados, não vá em áreas de risco que não conheça, e que faça parte de redes de monitoramento”, destaca.

Em Fortaleza, 11 plataformas de transporte individual estão credenciadas na Secretaria Municipal da Conservação e Serviços Públicos (SCSP), segundo lista divulgada em fevereiro. São elas: Uber, Servos, Táxi Tuber, Bella Driver, OP Os Paulo’s, Return, Divas, 26true, Top Amigos, Ilev e Gtfacil.

A reportagem pediu a lista atualizada das empresas à pasta, bem como o total de motoristas cadastrados na Capital e os requisitos de segurança aos motoristas que essas empresas devem cumprir. Contudo, o órgão não retornou até o fechamento desta matéria.

Empresas elencam ações de segurança para motoristas

Duas das empresas mais conhecidas do mercado de viagens por aplicativo, a Uber e a 99 foram questionadas sobre medidas de segurança que têm sido adotadas para garantir a segurança de passageiros e usuários no Ceará. A Uber informa que recentemente introduziu a checagem de documentos como RG e CPF de usuários que quiserem pagar somente em dinheiro.

Há também a possibilidade de o motorista cancelar viagens sinalizando motivo de segurança sempre que não se sentirem confortáveis. Botão de segurança, envio de mensagem, gravação das viagens e avaliação de motoristas são outras iniciativas da empresa.

O aplicativo de mobilidade 99 afirma que reduziu em 13% as ocorrências de segurança na plataforma, relativas a violência contra motoristas, por milhão de corridas no Ceará, de janeiro a junho de 2021. Os dados incluem assaltos e agressões.

A empresa atribui a redução aos “investimentos contínuos em tecnologia de ponta, com sistemas preventivos e ferramentas de proteção.” Nos últimos dois anos, foram R$ 70 milhões. Validação de CPF e RG, câmeras de seguranças, gravação de áudio, compartilhamento de rota e botão de ligar direto para polícia são outras ações mencionadas.

Outra medida da 99 é a implementação de um Mapeamento de Áreas de Risco que permite aos condutores colaborar com a identificação dessas regiões, além de ter seu zoneamento dinâmico, variando de acordo com fatores como a hora do dia, botão de contato com a Polícia

Ações das empresas de aplicativo

Uber

  • Checagem de documentos: quem quiser pagar sua primeira viagem em dinheiro, sem fornecer dados do meio de pagamento digital (cartão de crédito ou débito), precisa fornecer um documento de identidade, como RG ou CNH. Além disso, o aplicativo do usuário que pagar somente em dinheiro o CPF e data de nascimento, checados na base de dados do Serasa;
  • Envio de mensagem: caso aconteça uma parada longa e não prevista na rota ou se a viagem terminar fora do destino planejado, a empresa pergunta ao motorista parceiro e ao usuário se é necessário algum suporte e direciona às ferramentas de segurança;
  • Recursos de segurança: botão reúne todas as funções de segurança da plataforma. Usuários e motoristas parceiros podem compartilhar a sua localização e o tempo de chegada em tempo real, ligar para a polícia diretamente do app e acionar o recurso de gravação de áudio;
  • Gravação de vídeo: em testes desde fevereiro de 2021 utilizando a câmera do celular do motorista parceiro. O usuário é avisado previamente que a viagem poderá ser gravada e tem a opção de cancelar sem cobrança caso se sinta desconfortável. A gravação fica criptografada e só pode ser acessada pela Uber ou por autoridades policiais em investigações formais de ocorrências reportadas na plataforma;
  • Avaliação: usuários e motoristas podem e devem avaliar um ao outro depois de cada viagem, de forma anônima. Uma equipe monitora essas informações e pode banir da plataforma usuários ou motoristas que tiverem uma média baixa de avaliações ou conduta que viole os termos e condições de uso ou o código de conduta da comunidade, como por exemplo, comportamento inapropriado ou perigoso;
  • Número 0800: disponível 24 horas por dia, sete dias por semana pelo aplicativo e analisa caso a caso cada registro para emergência e solicitar apoio da Uber.

99

  • Validação de acesso: verifica se usuários são os donos dos CPFs informados por meio de prevenção de fraude da Serasa Experian, além de checagem instantânea do RG;
  • Mapeamento de Áreas de Risco: permite aos condutores colaborar com a identificação dessas regiões, além de ter seu zoneamento dinâmico, variando de acordo com fatores como a hora do dia;
  • Hércules: verifica padrões de comportamento em chamadas suspeitas, analisando fatores como horário e duração da viagem, bem como histórico dos usuários. Em casos de alto risco, são solicitados documentos e validações adicionais antes da conexão. Se a identidade for validada, o motorista é despachado ao ponto de embarque normalmente. Caso contrário, a pessoa não poderá se conectar a um condutor da plataforma;
  • Cubo: inteligência artificial que age para evitar que motoristas sejam direcionados para áreas que estão com indícios de violência. Para isso, a ferramenta analisa, em tempo real, locais que possam apresentar qualquer perigo, como, por exemplo, a atuação organizada de um grupo de assaltantes.
  • Monitoramento de Corridas: detecta comportamentos anormais como paradas longas e trajetos com tempo acima do previsto. A ferramenta funciona através da combinação de IA e rastreamento por GPS para detectar esses casos. Em situações de risco, alertas são enviados à Central de Segurança do app, que pode acionar diretamente a polícia;
  • Câmeras de segurança: embarcadas nos carros, possuem lentes "olho de peixe" e modo noturno que permitem captar todo o interior do veículo. Dispositivo acompanha um botão de emergência que pode ser acionado a qualquer momento e se conecta à Central de Segurança, uma equipe de profissionais especializados, disponíveis 24 horas por dia, 7 dias por semana.

Serviço

Casos de violência podem ser comunicados às autoridades por meio de Boletim de Ocorrência (BO), feito em qualquer delegacia, ou via Delegacia Eletrônica (Deletron), pelo site: https://www.delegaciaeletronica.ce.gov.br/.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Por Copa do Mundo, Conmebol antecipa final da Libertadores de 2022 para outubro

Nova data
15:15 | Ago. 17, 2021
Autor Gazeta Esportiva
Foto do autor
Gazeta Esportiva Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

A Conmebol divulgou o calendário de suas competições para 2022. As finais da Sul-Americana e da Libertadores, que normalmente ocorrem em novembro, foram antecipadas para outubro por conta da Copa do Mundo no Catar, que ocorre entre os dias 21 de novembro e 18 de dezembro.

A decisão da Sul-Americana de 2022 irá acontecer em solo brasileiro, no estádio Mané Garrincha, no dia 1º. Já a final da Libertadores de está marcada para o dia 29, no Estádio Monumental de Guayaquil, no Equador.

As finais da Recopa não precisaram sofrer alteração por causa do Mundial, então serão realizadas nos dias 23 de fevereiro (jogo de ida) e 2 de março (jogo de volta).

As partidas eliminatórias que antecedem a fase de grupos das principais competições da Conmebol começam em 9 de fevereiro e terminam em 16 de março. O sorteio dos grupos será no dia 23 de março, com início em 6 de abril e fim em 25 de maio. Já a definição dos confrontos de mata-mata será no dia 1º de julho, com os primeiros jogos sendo realizados no dia 29 do mesmo mês.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Novo reforço do Atlético-MG, atacante Diego Costa chega a Belo Horizonte

Mercado da bola
15:13 | Ago. 17, 2021
Autor Gazeta Esportiva
Foto do autor
Gazeta Esportiva Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O acerto entre o Atlético Mineiro e o atacante Diego Costa foi oficializado no último sábado. Nesta terça-feira, o jogador naturalizado espanhol chegou ao Brasil e já desembarcou em Belo Horizonte.

Nas redes sociais, o Galo acompanhou a trajetória do centroavante desde a madrugada, até a chegada dele ao país. O atleta de 32 anos pousou na capital mineira durante a manhã.

Diego Costa não atuou profissionalmente no Brasil e se destacou no futebol europeu. Pelo Atlético de Madrid, seu último clube, ele jogou 216 partidas, marcou 83 gols e deu 36 assistências. Sob o comando de Diego Simeone, venceu LaLiga 2013/14.

Costa também defendeu o Chelsea, da Inglaterra. Pelos Blues, disputou 120 jogos: balançou as redes 58 vezes e deu 24 passes para gol.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Bahia anuncia demissão do técnico Dado Cavalcanti

Fim da linha
15:12 | Ago. 17, 2021
Autor Gazeta Esportiva
Foto do autor
Gazeta Esportiva Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O Bahia anunciou, nesta terça-feira, a demissão do técnico Dado Cavalcanti. A saída do treinador foi concretizada após derrota para o Atlético-GO, em casa, por 2 a 1. Além do comandante, os auxiliares Pedro Gama e Dito Wolley também deixaram a equipe.

“Agradecemos os ótimos serviços prestados e desejamos grande sorte em seus novos desafios”, escreveu o clube em nota.

Ex-técnico do Bahia sub-23, Dado assumiu o time principal do Tricolor de Aço em dezembro, após a saída de Mano Menezes, e conquistou a Copa do Nordeste de 2021. No total, comandou a equipe em 51 jogos – foram 21 triunfos, 11 empates e 19 derrotas.

Aos 40 anos, o treinador pernambucano acumula passagens por Coritiba, Ponte Preta, Ceará e Náutico, entre outros clubes. Nesta temporada, sob o comando de Cavalcanti, o time de Salvador foi eliminado na primeira fase da Sul-Americana e caiu nas oitavas de final da Copa do Brasil.

O treino desta terça-feira será coordenado pelo português Bruno Lopes, técnico do time de transição. Esta equipe, por sua vez, terá o comando de Eduardo Guadagnucci, do sub-20.

Com uma vitória nos últimos oito jogos em todas as competições, o Bahia soma 18 pontos na Série A e ocupa a 13ª colocação. O Tricolor volta a campo no próximo sábado, às 19h00 (de Brasília), quando enfrenta o Grêmio em Porto Alegre, pela 17ª rodada do campeonato.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Bolsonaro insiste em pedido de impeachment de Barroso e Moraes

POLÍTICA
15:12 | Ago. 17, 2021
Autor Agência Estado
Foto do autor
Agência Estado Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia
O presidente Jair Bolsonaro reafirmou nesta terça-feira, 17, que vai entrar com um pedido de impeachment no Senado contra o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Roberto Barroso, e o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes.
Apesar da mobilização de líderes do Centrão e aliados do governo de tentar demover o presidente da ideia, Bolsonaro confirmou que vai entregar o pedido ao Congresso.
O presidente afirmou ainda que, nesta semana, terá "novidades" dentro das quatro linhas da Constituição, sem dar mais detalhes do que quis dizer. "Está com o Senado agora. Não vou agora tentar cooptar senadores de uma forma ou de outra oferecendo alguma coisa para eles votarem o impeachment deles", declarou em entrevista à Rádio Capital Notícia, de Cuiabá, na manhã desta terça-feira, 17.
O presidente criticou Alexandre de Moraes por tê-lo incluído como investigado no inquérito das fake news. Na avaliação do chefe do Executivo, a investigação é "o absurdo dos absurdos" e o ministro o está julgando de forma isolada.
"Não pode um ministro do Supremo, no caso o Alexandre de Moraes, ele mesmo abre o inquérito, ele investiga, ele julga e ele prende. Não tem nem a participação do Ministério Público, nada", reclamou o presidente. "Vai fazer diligência? Vai fazer uma busca e apreensão na minha casa? Vai me (sic) sancionar nas mídias sociais por caso? Será que ele vai chegar a esse ponto?", afirmou.
Para Bolsonaro, Moraes "está fazendo barbaridade", assim como o corregedor do TSE, Luis Felipe Salomão, que suspendeu a monetização de canais que propagam mentiras sobre o sistema eleitoral.
Apesar das críticas a Moraes e as recentes trocas de farpas com o presidente da corte eleitoral, Luís Roberto Barroso, o presidente negou que ataque todos os magistrados do STF. "Não pode alguns poucos ministros, poucas autoridades, se tornarem donos do mundo, donos da verdade. Quando eu falo do ministro Barroso e do Alexandre, estou falando de 2 dos 11 ministros do Supremo", disse. "Isso faz parte da vida democrática."
Sobre a possibilidade de o TSE torná-lo inelegível, Bolsonaro declarou: "Baseado em quê? Pelo que eu estou sabendo isso é mais que uma fumaça, parece que um pequeno incêndio, baseado em fake news". De acordo com o presidente, é um direito dele advogar a favor do voto impresso.
Segundo Bolsonaro, enquanto ele ainda atua dentro da Constituição, "do lado de lá, já saíram das quatro linhas (da Constituição)", acusou. O presidente declarou que ninguém quer uma ruptura no País. "Uma ruptura tem problemas internos e externos".
A respeito das manifestações previstas para o feriado de 7 de setembro, disse que ainda não sabe se vai participar dos atos, o que classificou como mobilizações "em defesa da democracia, da liberdade e contra a interferência de alguns ministros". Para ele, "nós temos que ouvir o povo".
Aliança eleitoral só em 2022. De olho nas eleições de 2022, o presidente afirmou que a aliança política para o pleito vai começar a ser formada a partir do início do ano que vem. Segundo ele, até o momento, "não tem compromisso com Estado", mas disse que evita falar isso para não ter problemas dentro do Parlamento. "Preciso aprovar coisas para o bem do Brasil."
Bolsonaro avaliou que uma aliança na atual situação nacional vai complicar ainda mais a estabilidade. "Trazer para dentro agora desse turbilhão que a gente vive, do problema que a gente vive aqui, a gente complica mais a situação do Brasil", diz.
Para o pleito, no entanto, o chefe do Executivo permanece sem partido para concorrer. Se dependesse dele, conforme pontuou, a escolha já teria sido feita. "Mas o casamento é difícil, sempre tem um problema pela frente, estou correndo atrás", reforça. Segundo o presidente, há a possibilidade de ir para o Progressistas, porém, a sigla também "precisa querer". Como mostrou o Estadão, o partido flerta também com a esquerda em alianças regionais.
Veto ao fundo eleitoral. Bolsonaro disse que vai vetar o fundo eleitoral na íntegra caso seja impedido de cortar o que exceder a lei de 2017 de reajuste ao projeto. De acordo com o chefe do Executivo, a ordem dada por ele foi vetar tudo o que extrapolar aquilo que foi previsto em 2017, uma vez que não quer gerar atritos com a Câmara dos Deputados ou o Senado.
"Mas vamos supor que não seja possível porque está em um artigo só, então vete tudo", disse. O presidente voltou a declarar que "temos que cumprir a lei" e, não pode vetar ou sancionar "qualquer coisa sem responsabilidade". "Se eu sancionar o que não devo ou vetar o que não posso, estou em curso em crime de responsabilidade", afirmou.
Apesar da justificativa utilizada por Bolsonaro, não há obrigação por parte da Presidência da República de reajuste mínimo do chamado "Fundão" pela inflação. Se o presidente confirmar o veto à regra aprovada na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), o valor ficará em aberto. Segundo determina e legislação, o governo e os parlamentares deverão estabelecer o gasto com as campanhas no ano que vem de acordo com o seguinte cálculo: usar o valor dos impostos arrecadados com o fim da propaganda partidária, calculado em R$ 803 milhões no ano que vem, mais um porcentual não definido da reserva destinada às emendas parlamentares de bancada, cuja somatória deve chegar a R$ 8 bilhões no próximo ano.
Acusação de "curandeiro". Bolsonaro também rebateu as acusações que recebeu da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid, cujo relatório jurídico decidiu propor o indiciamento do presidente pelo crime de charlatanismo, por incentivo ao uso de medicamentos sem eficácia comprovada contra a covid-19. "Não sou charlatão nem curandeiro, só dei uma alternativa", afirmou o presidente.
O presidente negou que tenha buscado sozinho outras alternativas de tratamento para a doença e disse que teve o apoio de equipes médicas para orientá-lo. "Por que essa onda toda contra o tratamento precoce?", questionou o presidente. "Será que é um grande negócio para a indústria farmacêutica para comprar vacina?", emendou.
Em críticas ao seu rival político, governador de São Paulo, João Doria (PSDB), o chefe do Executivo disse que "ninguém tem coragem de falar", mas que "gente que tomou as duas doses (da Coronavac), foi infectado e está morrendo". "Por que está morrendo? Porque acreditou nas palavras do governador de São Paulo de dizer que quem tomar as duas doses da Coronavac e for infectado, jamais morrerá".
Bolsonaro pediu para que a população procure médicos e, se os profissionais recomendarem tratamento precoce, "faça, mesmo sem ter sido vacinado duas vezes". "Se você esperar, ir para casa, mesmo vacinado, esperar até sentir falta de ar para voltar ao hospital, o que eu chamo de 'Protocolo Mandetta', pode ser tarde demais", pontuou.
Segundo o presidente, assim como páginas que defendem o tratamento precoce estão saindo do ar, páginas que contestam a inviolabilidade das urnas eletrônicas também estão sendo derrubadas, em referência à decisão do TSE de desmonetizar canais de fake news. Na avaliação de Bolsonaro, "é hipocrisia, pouca gente tem coragem de falar a verdade". "Nós temos que resistir, não podemos aceitar ditadura no Brasil", declarou.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags