PUBLICIDADE
Ceará
NOTÍCIA

Bebê nasce com anticorpos contra Covid-19; mãe foi imunizada na gestação

Imunizada com as duas doses durante a gestação, Gleise Carvalho suspeitava que a recém-nascida pudesse ter os anticorpos contra a doença. A comprovação veio nesta segunda-feira, 19, após exames de sangue realizados na pequena Marília Costa, de 45 dias

21:34 | 23/07/2021
Registro do nascimento da bebê Marília Costa, no dia 8 de junho, no Hospital Municipal de Acopiara, no interior do Ceará  (Foto: Reprodução/Instagram)
Registro do nascimento da bebê Marília Costa, no dia 8 de junho, no Hospital Municipal de Acopiara, no interior do Ceará (Foto: Reprodução/Instagram)

Com apenas 45 dias de vida, a bebê Marília Costa de Carvalho Sousa já possui anticorpos contra a Covid-19. Nascida no último dia 8 de junho, em Acopiara, interior do Ceará, ela é filha da enfermeira Gleise Carvalho, que foi diagnosticada com a doença no início da gestação. Cerca de quatro meses depois, ainda grávida, a mãe recebeu as duas doses do imunizante, com o intervalo de tempo exigido entre as aplicações.

“Tinha escutado falar em casos de bebês que nasciam com anticorpos. Já existiam alguns casos no Brasil, mas no Ceará não tinha ainda”, conta a mãe.

LEIA MAIS | Governo autoriza eventos até 100 pessoas em ambiente fechado e 200 em aberto

Ceará vai receber lotes adicionais de vacinas do Butantan contra a Covid-19, afirma Doria

Gleise suspeitava que a filha pudesse ter nascido com os anticorpos contra a doença, mas ainda não tinha realizado nenhum exame para comprovar. A confirmação veio nesta segunda-feira, 19, com o resultado positivo do teste de neutralização Sars-Cov-2, realizado com amostras de sangue da bebê.

“Já tinha quase uma certeza, queria realmente a comprovação. Como já tomei a vacina e estou amamentando, seria muito importante comprovar. Fiquei muito aliviada e feliz”, comemora.

Covid-19 na gestação

A mãe trabalhava como enfermeira na linha de frente do Hospital Municipal de Acopiara, o mesmo onde a pequena Marília nasceu. A profissional da saúde contraiu a doença em outubro do ano passado, mesmo período em que também descobriu a gravidez.

A primeira dose do imunizante foi aplicada em fevereiro, quatro meses depois do teste positivo para a doença. No mês seguinte, em março, Gleise recebeu a segunda dose, ambas enquanto ainda estava grávida da filha.

Cuidados mantidos

Mesmo com a comprovação de que a recém-nascida possui os anticorpos contra a doença, Gleise tem consciência de que os cuidados não podem ser deixados de lado, uma vez que a bebê ainda pode contrair a doença.

“É um certo alívio. Ela está um pouco mais protegida, mesmo que não possamos descuidar. A gente sabe que mesmo com anticorpos, ela pode adquirir novamente, como os adultos. Mas a gente fica um pouco mais aliviado e com o coração mais tranquilo”, conta.

Saudável desde o nascimento, Marília continua bem e sem apresentar nenhum problema de saúde.