PUBLICIDADE
Ceará
Noticia

Enel realiza operação contra furto de energia elétrica nos bairros Mucuripe e Meireles

A ação envolverá 25 equipes da distribuidora e contará com o apoio da Polícia Civil. Somente neste ano, mais de 16 mil irregularidades já foram encontradas em Fortaleza e Região Metropolitana

08:44 | 17/06/2021
Energia elétrica (Foto: Barbara Moira)
Energia elétrica (Foto: Barbara Moira)

A Enel, em parceria com a Polícia Civil, realiza uma operação em campo contra o furto de energia elétrica em Fortaleza. A ação começa a partir desta quinta-feira, 17, nos bairros Mucuripe e Meireles, na Regional II.

No total serão 25 equipes da distribuidora na ação. De acordo com a empresa de distribuição de energia elétrica do Ceará, a expectativa é de que sejam executadas cerca de 340 inspeções em casas e comércios locais. Somente neste ano de 2021, a empresa já identificou mais de 16 mil irregularidades em Fortaleza e Região Metropolitana.

Em 2020 Enel realizou cerca de 250 mil inspeções em campo, sendo 139.387 somente em Fortaleza e Região Metropolitana. Com essas inspeções foram identificadas 38.648 irregularidades em clientes da empresa. A projeção para 2021 é que a distribuidora realize 300 mil fiscalizações, um aumento de cerca de 19% com relação ao ano anterior.

Identificação


O trabalho de identificação é feito através da análise de dados internamente e, em campo, por cerca de 150 equipes. Diariamente, técnicos da distribuidora analisam informações de consumo de cada cliente e também realizam visitas em todo o Ceará para identificar e normalizar casos.

Conscientização


Para conscientizar a população sobre o perigo do furto de energia, a companhia alega realizar projetos sociais em comunidades, com informações sobre o uso eficiente de energia elétrica e programas para geração de emprego e renda. As ligações irregulares podem causar curtos-circuitos e sobrecarga na rede elétrica, ocasionando interrupção no fornecimento de energia.

De acordo com Carlos Cavalcante, responsável operacional da Enel, “além de ser crime, com pena prevista de um a oito anos de reclusão, o furto de energia afeta diretamente a qualidade do serviço prestado pela distribuidora e põe em risco a população, principalmente as pessoas que manipulam a rede elétrica”, pontua.