PUBLICIDADE
Ceará
NOTÍCIA

Teste do pezinho: entenda a importância da realização do exame entre o 3° e 5° dia de vida do bebê

De acordo com o Ministério da Saúde, 75% das 13 milhões de pessoas no Brasil que convivem com alguma doença rara são crianças. Na triagem neonatal, pelo exame, seis doenças podem ser detectadas

08:39 | 06/06/2021
Teste do pezinho pode ser feito gratuitamente em hospitais da rede pública e antecipar diagnóstico de doenças congênitas raras (Foto: DIVULGAÇÃO)
Teste do pezinho pode ser feito gratuitamente em hospitais da rede pública e antecipar diagnóstico de doenças congênitas raras (Foto: DIVULGAÇÃO)

Neste domingo, 6 de junho, celebra-se o Dia Nacional do Teste do Pezinho, que faz parte da campanha Junho Lilás, cujo objetivo é conscientizar a população sobre a necessidade do exame para constatação de doenças raras, congênitas ou infecciosas em seu estágio inicial, nos recém-nascidos. A triagem neonatal é feita por meio da coleta de algumas gotas de sangue do calcanhar do bebê, e o ideal é que seja realizada entre o 3° e 5° dia após o nascimento.

Atualmente, o teste do pezinho realizado no Sistema Único de Saúde (SUS) consegue detectar seis doenças: fenilcetonúria, hipotireoidismo congênito, doença falciforme e outras hemoglobinopatias, fibrose cística, hiperplasia adrenal congênita e deficiência de biotinidase. Em laboratórios e hospitais da rede privada o exame possui versão ampliada e identifica um número maior de enfermidades. Desde distúrbios em ácidos orgânicos até testes de sorologia para detecção de doenças infecciosas, como toxoplasmose congênita, citomegalovírus, sífilis congênita, doença de chagas e HIV.

Segundo o médico pediatra do hospital São Camilo Cura d`Ars, Paulo de Tarso, o teste do pezinho é indispensável, e o diagnóstico precoce acompanhado do tratamento direcionado reduzem ou impedem as sequelas associadas às doenças. “Caso os exames sejam realizados de forma tardia, o recém-nascido fica exposto a inúmeras doenças como o hipotireoidismo congênito, fenilcetonúria e galactosemia, patologias que podem trazer consequências no desenvolvimento da criança”, afirma.

Acesse a cobertura completa do Coronavírus >

O tempo entre a coleta e a realização do teste é de vital importância para dar início ao tratamento dos casos diagnosticados, que deve começar antes dos primeiros 30 dias de vida. O Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen), equipamento da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa) responsável pelo exame, recebe amostras dos 184 municípios, abrangendo 327 postos de coleta. Com cada amostra de sangue é realizado seis análises. O prazo de entrega e acesso ao laudo é de cinco dias úteis.

“Todas as coletas são feitas nas maternidades ou em unidades de saúde dos municípios”, explica a chefe da divisão de Biologia Médica do laboratório estadual, Ana Carolina Barjud Máximo. Em 2020, 593.514 testes foram realizados em aproximadamente 98.919 crianças triadas, no Ceará.

Ampliação do teste no SUS

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sancionou, no último 26 de maio, o projeto de lei n° 14.154, que amplia o número de doenças detectáveis no teste do pezinho pelo SUS. Na rede pública de saúde o exame passará a identificar precocemente 14 grupos de patologias, que englobam até 53 tipos de enfermidades, algumas consideradas raras. A nova determinação altera a lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990, do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), “para aperfeiçoar o Programa Nacional de Triagem Neonatal (PNTN)”. A autoria do projeto é do deputado federal Dagoberto Nogueira (PDT-MS).

A ampliação ocorrerá de forma escalonada e caberá ao Ministério da Saúde estabelecer os prazos para implementação de cada etapa do processo. A mudança está prevista para entrar em vigor 365 dias após a publicação da lei. Entre as doenças que serão testadas estão a atrofia muscular espinhal (AME), doenças relacionadas a imunodeficiências, hipotireoidismo congênito, anemia falciforme, fibrose cística, entre outras doenças raras. 

Serviço

Teste do pezinho de forma gratuita

Maternidades na Região Metropolitana de Fortaleza:
https://www.saude.ce.gov.br/ultimas-noticias-2/servico/

Hospital e Maternidade José Martiniano de Alencar
Hospital da Polícia
Rua Princesa Isabel, 1526, Centro
Fortaleza
Pública Estadual
(85) 3101-4976

Hospital Geral Dr. César Cals
Avenida Imperador, 545, Centro
Fortaleza
Pública Estadual
(85) 3101-5340

Hospital Geral de Fortaleza (HGF)
Rua Ávila Goulart, 900, Papicu
Fortaleza
Pública Estadual
(85) 3101-3272

Hospital Gonzaguinha do José Walter
Rua 5, s/n, Conjunto João Paulo II, Barroso
Fortaleza
Pública Municipal
(85) 3452-9374

Hospital Gonzaguinha da Barra do Ceará
Avenida Aloísio Lorscheider, 1.130, Nova Assunção
Fortaleza
Pública Municipal
(85) 3452-2409 / 2390

Hospital Gonzaguinha da Messejana
Avenida Washington Soares, 7700, Messejana
Fortaleza
Pública Municipal
(85) 3105-1590 / 3101-4353

Hospital e Maternidade Zilda Arns
Avenida Lineu Machado, 145, Demócrito Rocha
Fortaleza
Pública Municipal
(85) 3233-3019

Hospital Distrital Nossa Senhora da Conceição
(Hospital da 4ª Etapa)
Rua 1080, 148, 4ª Etapa, Conjunto Ceará
Fortaleza
Pública Municipal
(85) 3452-6701

Casa de Saúde Nossa Senhora das Graças
Rua Nossa Senhora das Graças, 245, Jacarecanga
Fortaleza
Pública Municipal
(85) 3281-4990

Hospital São Camilo Cura D´ars
Rua Costa Barros, 833, Centro
Fortaleza
Pública Municipal
(85) 3464-7000

Maternidade Escola Assis Chateaubriand
Rua Coronel Nunes de Melo, s/n, Rodolfo Teófilo
Fortaleza
Pública Municipal
(85) 3366-8502

Pronto Socorro Prontomédico
Rua Barão do Rio Branco, 1722, Centro
Fortaleza
Pública Municipal
(85) 3226-2414

Hospital Geral Manuel Assunção Pires
Rua João Paulo, 96 Centro
Aquiraz
Pública Municipal
(85) 3361- 1851

Hospital e Maternidade Nossa Senhora das Graças
Rua Bia Coelho, 2205, Centro
Cascavel
Pública Municipal
(85) 3334-1475 / 1675

Hospital e Maternidade Santa Terezinha
Avenida Dom Almeida Lustosa, 3702, Marechal Rondon
Caucaia
Pública Municipal
(85) 3294-2459

Hospital Municipal de Chorozinho
Avenida Luis Alexandre, s/n, Cidade Nova
Chorozinho
Pública Municipal
(85) 3319-1222

Hospital Municipal Dr Amadeu Sá
Rua Carmelita Rebouças, 508, Tamatanduba
Eusébio
Pública Municipal
(85) 3260-1327

Hospital e Maternidade Venâncio Raim de Sousa
Rua Maria Luiza Noronha, 45, Zumbi
Horizonte
Pública Municipal
(85) 3336 6046 / 6060

Hospital e Maternidade Ester Cavalcante Assunção
Rua Ester Cavalcante Assunção, s/n, Centro
Itaitinga
Pública Municipal
(85) 3377 2354 /1449

Hospital Ana Lima
Avenida de Contôrno, Distrito Industrial
Maracanaú
Pública Municipal
(85) 3299-2500

Hospital Municipal Dr João Elísio de Holanda
Rua João de Alencar, s/n, Centro
Maracanaú
Pública Municipal
(85) 3521-5500

Hospital Municipal Dr. Argeu Braga Herbster
Rua Abreu Costa, 217
Maranguape
Pública Municipal
(85) 3369-9172

Hospital José Maria Philomeno Gomes
Rua Luíz Silva
Pacajus
Pública Municipal
(85) 3348-1911

Hospital Raimundo Célio Rodrigues
Rua Major Cícero Franklin, 34, Centro
Pacatuba
Pública Municipal
(85) 3345 2320 / 2309

Santa Casa de Paracuru
Rua José Lopes Meireles, 900
Paracuru
Pública Municipal
(85) 3344-2015

Hospital Municipal de Paraipaba
Rua Evaristo Gomes, 177, Centro
Paraipaba
Pública Municipal
(85) 99255-5275

Hospital e Centro de Parto Normal de Pindoretama
Rua Padre Edílson Silva, 385, Centro
Pindoretama
Pública Municipal
(85) 3375-1757

Hospital Geral Luíza Alcântara Silva
Rua Doca Morais, s/n, Palestina
São Gonçalo do Amarante
Pública Municipal
(85) 3315-7117

Unidade Mista de Saúde de Trairi
Rua Governador César Cals Oliveira, s/n
Trairi
Pública Municipal
(85) 3351-1504