PUBLICIDADE
Ceará
Noticia

Ex-ministros da Saúde começam a depor na CPI da Covid nesta terça-feira

Luiz Henrique Mandetta e Nelson Teich falam hoje à comissão no Senado; Eduardo Pazuello presta depoimento na quarta-feira.

08:20 | 04/05/2021
O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, durante a coletiva de imprensa sobre à infecção pelo novo coronavírus (Foto: Marcello Casal JrAgência Brasil)
O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, durante a coletiva de imprensa sobre à infecção pelo novo coronavírus (Foto: Marcello Casal JrAgência Brasil)

A CPI da Covid começa a ouvir, nesta terça-feira, 4, os depoimentos de ex-ministros da Saúde na gestão do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Os dois primeiros a falar aos senadores serão Luiz Henrique Mandetta, às 10h, e Nelson Teich, a partir das 14h.

Mandetta foi demitido no dia 16 de abril de 2020, no início da crise sanitária no Brasil, após desgaste na relação com Jair Bolsonaro. As opiniões do médico e do chefe de Estado se contradiziam quando Mandetta defendia o uso de máscaras e era contra a indicação de medicamentos sem eficácia comprovada contra a Covid-19.

Na época da gestão do primeiro ministro da Saúde de Bolsonaro, o Brasil registrava 1.924 mortes por Covid-19. Hoje, o País tem mais de 400 mil óbitos. Já o substituto de Mandetta, Nelson Teich, permaneceu menos de um mês no cargo.

LEIA MAIS 

| Renan reúne 200 frases negacionistas de Bolsonaro para a CPI: "Todas me assustam" |

Conselheiro do CNJ afirma que Bolsonaro não pode ser convocado para depor pela CPI da Covid |

Senadores críticos ao governo esperam que os depoimentos ajudem a esclarecer se o Brasil poderia ter tomado ações mais efetivas no enfrentamento à pandemia, freando o número de mortes pela doença.

A constante troca de ministros da Saúde, segundo o vice-presidente do colegiado, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), é, por si só, um enorme problema para a gestão. “Mandetta foi exonerado do cargo de ministro por defender as medidas de combate à doença recomendadas pela ciência. O presidente defendia mudanças nos protocolos de uso da hidroxicloroquina no tratamento do coronavírus, mas o Nelson Teich era contra. Infelizmente, sabemos o rumo que a gestão da pandemia tomou no País”, citou Randolfe nos requerimentos que solicitam o depoimento dos ex-ministros.

Ainda nesta semana, o general Eduardo Pazuello e o atual ministro, Marcelo Queiroga, também devem prestar esclarecimentos, todos na condição de testemunhas.

Convocações

 

Terça-feira (04/05): ex-ministros da Saúde Luiz Henrique Mandetta (10h) e Nelson Teich (14h);
Quarta-feira (05/05): ex-ministro da Saúde general Eduardo Pazuello;
Quinta-feira (06/05): atual ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, e Antonio Barra Torres, presidente da Anvisa;

Outras convocações

 

A CPI da Covid pode votar a convocação de ministros de outras pastas, governadores e prefeitos. Os parlamentares sugerem que os ministros Paulo Guedes (Economia), Walter Braga Netto (Defesa e ex-Casa Civil) e Luiz Eduardo Ramos (Casa Civil e ex-Secretário de Governo) prestem esclarecimentos. Também são cotados para receber convocação o ex-ministro Ernesto Araújo (Relações Exteriores) e o atual chanceler, Carlos Alberto Franco França.

*Com informações da GZH Política