PUBLICIDADE
Ceará
NOTÍCIA

Pastor de Reriutaba reúne famosos e diversas religiões em gravação de clipe

O trabalho está sendo divulgado nas redes sociais e tem recepção "além do esperado"

Marcela Tosi
12:44 | 11/03/2021
Pastor Francisco Ribeiro participa do clipe junto de famosos e integrantes de diversas religiões (Foto: Reprodução Yutube)
Pastor Francisco Ribeiro participa do clipe junto de famosos e integrantes de diversas religiões (Foto: Reprodução Yutube)

Em meio à pandemia de Covid-19, uma oração tem feito sucesso nas redes sociais: a Oração de São Francisco gravada pelo pastor Francisco Ribeiro em parceria com diversos famosos e anônimos. O trabalho desenvolvido durante sete meses e à distância, reúne personalidades como o cantor católico Dunga; Raimundo Fagner; padre Reginaldo Manzotti; a cantora Eliane Faria, filha de Paulinho da Viola; e Eduardo Coimbra, irmão do treinador Zico.

Nascido em Reriutaba, interior do Ceará, e morador do Rio de Janeiro há 42 anos, Ribeiro afirma que a "igreja sempre foi voltada para trabalhos sociais e a questão da unidade sempre foi muito importante, tanto do povo católico e evangélico, como entre todos os credos".

"No clipe temos espíritas, católicos, evangélicos, budista, messiânico. Para a gente trazer mais amor e mais solidariedade. Para saber que Deus nos fez diversos", aponta. "Eu me encontrei na igreja evangélica, mas sou ecumênico e respeito a opinião do outro. Acho que nós temos mais semelhantes que diferentes."

O POVO - Como surgiu a ideia de gravar o clipe?


Pastor Francisco Ribeiro - Surgiu de uma conversa no jardim do Projeto Revitalizares, entre eu e o arquiteto Rafael Vasconcelos. A partir daí conheci o Dunga, da Canção Nova; falei com o José Milton Pinho, um dos maiores produtores musicais do Brasil e que também é cearense; e fomos entrando em contato com os demais amigos que aceitaram participar. 

OP - Qual foi o objetivo ao reunir pessoas tão diversas, famosas e anônimas, de diferentes credos?


Pr. Ribeiro - Nosso intuito foi o de levar uma mensagem de fé, esperança, solidariedade e sobretudo de amor, que tanto o mundo precisa nesse momento tão difícil para toda a humanidade. Mostrar que nossas semelhanças são muito maiores que nossas diferenças: estamos todos comprometidos em transformar o mundo em um lugar melhor e mais justo.

OP - A Oração de São Francisco e os santos de forma geral guardam uma ligação muito direta à Igreja Católica. Por quê escolher essa canção em específico?


Pr. Ribeiro - A princípio a música não seria essa, mas depois Deus colocou em meu coração o desejo de gravar a Oração de São Francisco por essa mensagem poderosa que ela tem: devemos ser instrumento de paz, de amor, de alegria, de união. Já que não podemos ser puros, devemos ser bons. Os santos são exemplos pra todos nós. Fala-se muito na reforma protestante que aconteceu com as 95 teses de Lutero, mas São Francisco também foi um reformador. Ele não aceitava que a Igreja vivesse no luxo enquanto o povo padecia. Esse é o papel da Igreja: ir ao encontro dos necessitados. Jesus fez isso e São Francisco era um verdadeiro discípulo de Jesus. É o que todos nós devemos fazer, ser discípulos e não religiosos.

O objetivo é trazer unidade entre o povo do bem de todas as religiões; trazer conscientização que, embora nós façamos parte de uma religião seja ela qual for, nós não detemos a verdade absoluta. Isso compete a Deus. Todos somos livres para escolhemos o caminho que quisermos seguir. Eu entendo que Jesus é o caminho a verdade e a vida, mas não posso obrigar o meu semelhante pensar igual a mim; ele acima de tudo deve ser respeitado por sua individualidade.

OP - Como tem sido a recepção das pessoas nas redes sociais, onde o clipe foi lançado?


Pr. Ribeiro - Tem sido além do que eu esperava, apesar de saber que o mundo nesse momento está carente da palavra de Deus. Já recebi várias mensagens de pessoas chorando, falando que foram muito tocadas pela mensagem que essa música tem. Só nas redes sociais do Fagner, entre Facebook e Instagram, tem mais de 60 mil visualizações e mais de 1.300 compartilhamentos. Nas do Dunga, são 8 mil; do Marcos Rossi, 4 mil e por aí vai.