PUBLICIDADE
Ceará
NOTÍCIA

Polícia prende empresário de Quixadá investigado por estelionato e fecha local onde crime acontecia

O homem aplicava golpes usando pagamento de boletos bancários dos clientes; além disso, também atuava como agiota

20:07 | 25/02/2021
Estabelecimento foi fechado por determinação do Poder Judiciário (Foto: Reprodução/SSPDS)
Estabelecimento foi fechado por determinação do Poder Judiciário (Foto: Reprodução/SSPDS)

A Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE) prendeu, na manhã desta quinta-feira, 25, o empresário Jairo Holanda, 38, investigado por aplicar golpes usando o pagamento de boletos bancários de terceiros. Conforme a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), o suspeito tinha uma loja localizada no centro de Quixadá,  a 163 quilômetros de Fortaleza, onde executava a ação de estelionato e também fazia agiotagem. O estabelecimento foi fechado logo após a prisão, por determinação do Poder Judiciário.

Leia Também | Ex-desembargador é preso no Cocó no caso de venda de sentenças

Segundo a instituição, as práticas criminosas cometidas pelo empresário eram investigadas desde 2019, sendo o crime de estelionato executado em grande parte contra idosos. O golpe era efetuado quando clientes chegavam na loja desejando pagar boletos bancários, mas acabavam sendo "enganados" por Jairo.

Isso porque o homem fingia efetuar o pagamento do boleto, quando na verdade apenas o agendava. Momentos depois das vítimas saírem do estabelecimento, ele cancelava a operação e ficava com o dinheiro pago por elas.

Leia Também | Suspeito de matar policial no RN é preso pela PMCE em Fortaleza

Jairo também operava em emissão de faturas de cartões. Ou seja, quando o cliente demostrava interesse em emitir uma fatura, o suspeito aproveitava para fotografar o cartão, principalmente o código de segurança, e realizava compras com os dados da vítima depois.

O mandado de prisão foi expedido como resultado da investigação feita pela Delegacia Regional de Quixadá. Segundo a PCCE, Jairo é ainda "réu em ação penal e responde a 18 crimes de estelionato e oito de agiotagem".