PUBLICIDADE
Ceará
NOTÍCIA

Pelo menos 100 denúncias de fura-filas já foram registradas pelo MPCE

Até 8 de fevereiro, o órgão recebeu 100 denúncias relativas a manifestações de situações de desrespeito às filas de prioridade na vacinação para a Covid-19. Fortaleza e outros 25 municípios registraram denúncias

19:09 | 12/02/2021
Desde janeiro, o MPCE já recebeu pelo menos 100 denúncias de desrespeito a prioridade na fila de vacinação, os "fura-filas".  (Foto: Reuters/Michael Weber/Imago Imagens/Direitos reservados)
Desde janeiro, o MPCE já recebeu pelo menos 100 denúncias de desrespeito a prioridade na fila de vacinação, os "fura-filas". (Foto: Reuters/Michael Weber/Imago Imagens/Direitos reservados)

De janeiro até 8 de fevereiro o Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE), informou que recebeu, pelo menos, 100 denúncias sobre desrespeito as filas de prioridade na vacinação para Covid-19. A maior parte das denúncias foi recebida pelo canal [email protected], sendo 50, mais 13 registros foram recebidos pela Ouvidoria-Geral. Outros 37 procedimentos relacionados a prioridades e fura-fila da vacinação contra a Covid-19 foram registrados no Sistema de Automação do MPCE, totalizando 100 denúncias de fura-filas.

Além de Fortaleza, as denúncias também foram registradas nos municípios de Guaraciaba do Norte, Maracanaú, Jijoca, Nova Russas, Santa Quitéria, Parambu, Tianguá, Pedra Branca, Ocara, Tabuleiro do Norte, Groaíras, Caucaia, Juazeiro do Norte, Ipu, Camocim, Sobral, Eusébio, Massapê, Baturité, Graça, Ipueiras, Jaguaruana, Missão Velha, Uruoca e Aracati.

Acesse a cobertura completa do Coronavírus >

De acordo com o promotor de Justiça Eneas Romero, qualquer pessoa pode realizar a denúncia por meio dos canais disponíveis. A denúncia pode ser feita apenas pelo nome da pessoa, mas Romero ressalta que quanto mais informações forem enviadas ao órgão, melhor. A partir daí o MPCE vai encaminhar a denúncia para a Promotoria responsável, para que seja realizada uma investigação sobre a denúncia. Caso a denúncia seja confirmada e o município não tenha uma explicação razoável, o caso segue para Justiça.

Até agora, o único caso que foi alvo de denúncia de improbidade administrativa pelo MPCE foi o do prefeito e da secretária de saúde de Jijoca de Jericoacoara, numa Ação Civil Pública expedida no último dia 9. Lindberg Martins e Joila Carneiro teriam sido, respectivamente, o segundo e o terceiro moradores da cidade a receberem o imunizante, mesmo sem fazer parte do grupo prioritário. Os outros casos estão sendo apurados pelo órgão.

Serviço

Denúncias de desrespeito às filas de prioridade da vacinação podem ser enviadas ao MPCE através do e-mail [email protected] ou diretamente na Promotoria do município onde aconteceu o caso.