PUBLICIDADE
Ceará
NOTÍCIA

Campanha Ceará Sem Racismo ganha o Prêmio Innovare 2020

Realizado pelo Governo do Estado, o projeto concorreu com outras 646 iniciativas de todo Brasil na categoria Justiça e Cidadania

21:12 | 01/12/2020
O anúncio dos vencedores foi realizado na manhã desta terça-feira, 1º, em uma solenidade virtual (Foto: Divulgação / Governo do Ceará)
O anúncio dos vencedores foi realizado na manhã desta terça-feira, 1º, em uma solenidade virtual (Foto: Divulgação / Governo do Ceará)

A "Campanha Ceará sem Racismo – Respeite minha história, Respeite minha diversidade" ganhou o Prêmio Innovare 2020, na categoria Justiça e Cidadania. A ação, que foi lançada em novembro do ano passado pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria da Proteção Social, Justiça, Cidadania, Mulheres e Direitos Humanos (SPS), concorreu com outros 646 projetos de todo o País.

O Prêmio Innovare está na sua 17° edição e premia projetos que realizam boas práticas em diversos segmentos. Na categoria Justiça e Cidadania, na qual a Campanha Ceará sem Racismo foi a vencedora, a temática racial foi contemplada pela primeira vez. O anúncio dos vencedores foi realizado na manhã desta terça-feira, 1º, em uma solenidade virtual.

Quem anunciou a vitória da campanha cearense foi o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Ayres Britto. “Que essa prática tenha longa longa longa existência, longa vida”, enfatizou, transmitindo grande emoção.

Executada pela Coordenadoria Especial de Políticas Públicas para Igualdade Racial (Ceppir) da SPS, a Campanha Ceará sem Racismo aciona a memória e o sentimento de pertencimento através das imagens de heróis do Brasil e do Ceará que contribuíram com a nação, simbolizando resistência e representação identitária.

Desde seu início, percorreu 60 municípios cearenses, fazendo formação com gestores, servidores públicos e movimentos sociais, despertando formas de enfrentamento ao racismo estrutural. Também presta assessoria aos municípios, visando o fortalecimento e criação de conselhos de igualdade racial.

Emocionada, a coordenadora de políticas públicas para igualdade racial, Zelma Madeira, ressaltou a importância da vitória e, principalmente, reconhecimento da campanha e visibilidade da temática. “Essa iniciativa prioriza a humanização de grupos étnicos discriminados, que sofrem a discriminação racial, que sofrem para acessar a justiça nesse País, que sofrem as desigualdades. Esse prêmio nos faz acreditar que um outro mundo é possível”.