PUBLICIDADE
Ceará
NOTÍCIA

Polícia prende 31 pessoas já condenadas por abuso sexual

Os condenados tinham mandados de prisão em aberto. A Polícia Civil cumpriu, ao longo do dia desta quinta, 70 mandados. Entre os criminosos estão duas mulheres

15:51 | 15/10/2020
Coletiva divulga prisão de 31 pessoas já condenadas por abuso sexual (Foto: divulgação/Polícia Civil )
Coletiva divulga prisão de 31 pessoas já condenadas por abuso sexual (Foto: divulgação/Polícia Civil )

Com operação desencadeada às 5 horas desta quinta-feira, 15, a Polícia Civil prendeu, até o meio-dia, 31 pessoas já condenadas por abuso sexual contra crianças e adolescentes e com mandados de prisão em aberto. A ação tem o objetivo cumprir 70 ordenamentos judiciais de detenção e aconteceu nas cidades de Fortaleza, Icó e Umirim, além de um mandado de prisão cumprido na Bahia de um homem fugitivo do Ceará. A maioria dos presos tem mais de 30 anos e tem relação de proximidade com as vítimas: são pais, padrastos, irmãos, avôs das vítimas. Entre os detidos estão duas mulheres.

Ao longo da tarde desta quinta, 15, outras prisões deverão ser realizadas, estima a Polícia. De acordo com o delegado geral da Polícia Civil, Marcus Rattacaso, alguns dos criminosos presos tinha reincidência no crime de abuso ou já tinham passagem pela polícia por delitos como furto ou roubo. “A maioria dos crimes de abuso sexual é praticado dentro do ambiente familiar. Os abusadores ou são parentes, pais, ou tem relação de confiança com a família”, aponta. Justamente por isso é tão fundamental que a família tenha coragem de noticiar o crime à Polícia. “A segurança pública é dever do Estado, porém é obrigação de todos e mais especialmente nesse tipo de delito, de crimes sexuais praticado contra crianças e adultos em ambiente familiar”, informa.

LEIA MAIS | Homem é preso em flagrante pela PF em operação contra exploração sexual de crianças e adolescentes

Polícia prende homem acusado de armazenamento de imagens de abuso e exploração sexual infantil

O que o titular da Delegacia de Capturas e Polinter, Gustavo Pernambuco, percebeu durante as apurações é que não existe um perfil dos abusadores. Têm os mais variados níveis financeiros e profissões comuns como açougueiros e pintores. A maioria deles convive com as vítimas ou tem relação de proximidade dentro das famílias. “Os abusadores agiam dentro da casa das pessoas, que eram próximas a eles, ou são da própria família. Mas existe um caso específico de uma pessoa que convidava crianças e adolescentes para jogar videogame e promovia abusos”, pontua. Entre os crimes aos quais eles são condenados estão abuso sexual, sedução de crianças ou adolescentes, estupro de vulnerável e, em um dos casos, exploração sexual.

A operação contou com o apoio de 150 policiais civis, entre delegados, escrivães e inspetores. E contou com o apoio de todos os departamentos de inteligência a Polícia Civil.

Márcio Gutiérrez, diretor do Departamento de Polícia Judiciária Especializada da Polícia Civil, confirma que, todos os dias, a Decap e as outras delegacias dão cumprimento a mandados de prisão, mas que, dessa vez, houve uma união de esforços e foco nessa operação. "É um trabalho que vem sendo feito nos últimos dias para retirar de circulação essas pessoas que agiram contra a dignidade sexual de crianças e adolescentes", explica.