PUBLICIDADE
Ceará
NOTÍCIA

Grupo de Fortaleza promove reunião virtual para sensibilização à perda gestacional; saiba como participar

A data 15 de outubro marca o Dia da Sensibilização à Perda Gestacional

11:51 | 15/10/2020
Em 2019, o grupo comemorou a data presencialmente. Já em 2020, em razão da pandemia de Covid-19, o encontro será virtual (Foto: Arquivo pessoal)
Em 2019, o grupo comemorou a data presencialmente. Já em 2020, em razão da pandemia de Covid-19, o encontro será virtual (Foto: Arquivo pessoal)

Tatiana Viana e Lucas Ramalho, ambos de 32 anos, é um dos muitos casais que perderam filhos recém-nascidos ou durante a gravidez. Tudo ia certo na gestação: Beatriz já estava no nono mês de vida gestacional e logo chegaria para alegrar a todos. Mas em um dia de exames de rotina, o casal descobriu que o coração da Bia não estava mais batendo. Isso ocorreu em março de 2019.

De repente, o mundo desmoronou. Eles tiveram que passar por uma cesária de urgência e, ao contrário de tudo que eles tinham programado, o que era para ser alegria virou dor. “Foi um episódio muito doloroso. Ainda é”, comenta Lucas.

Também de repente, eles viram-se sozinhos. Enquanto a gestação foi acompanhada por grupos e mais grupos de pais grávidos para compartilhar experiências, faltou grupo para compartilhar o luto. Parecia que Bia precisava ser silêncio. Como eles poderiam viver sem falar da filha?

“Imagina uma pessoa que tem um filho vivo, aqui na Terra, e não pode falar dele no trabalho, por exemplo”, ilustra o pai. “Não”, pensaram, “não pode ficar assim”. Então Tatiana mergulhou no mundo da internet à procura de algum espaço no qual pudesse honrar a vida e morte de Bia. Encontrou no Rio de Janeiro, em Recife, mas nada em Fortaleza. Foi assim que surgiu, em agosto de 2019, o grupo de acolhimento Da Dor ao Amor.

O poder da fala

 

De acordo com o estudo "Aborto espontâneo no primeiro trimestre: quatro décadas de estudo", publicado no periódico Translational Pediatrics, cerca de 20% das gravidezes evoluem para a interrupção espontânea e a maioria ocorre no primeiro trimestre. Já após as 24 semanas de gestação, a perda fetal ocorre 1 em cada 200 gestações, segundo o Colégio Americano de Obstetras e Ginecologistas (American College of Obstetricians and Gynecologists, em inglês). Mesmo que tão frequente, as famílias que enfrentam esse luto acabam silenciadas. “A gente não lida muito bem com a morte”, entende Lucas. “[Mas as famílias] acabam perdendo a oportunidade de falar sobre a coisa mais importante da vida delas.”

Ao criar o Da Dor ao Amor, o casal proveu um espaço de acolhimento a tantas outras mães e pais de Fortaleza. Por meio das reuniões - agora virtuais em razão da pandemia - e pelo WhatsApp, os pais podem falar sobre seus sentimentos e ouvir os dos outros. Para Tatiana e Lucas, a sensação ao ouvir as histórias dos outros e aprender com elas é de privilégio.

O objetivo no grupo, reforçam, não é psicoterapêutico. Afinal, Lucas é analista de Recursos Humanos e Tatiana, fonoaudióloga. No entanto, eles entendem que o Da Dor ao Amor permite aos familiares a ressignificação do sofrimento de perder o filho. É dor e continuará sendo, afirmam, mas ela pode virar “mel” - por isso o símbolo do grupo é uma abelhinha.

“É diferente de superar”, diz o pai. Talvez esse seja o principal erro dos amigos e familiares ao tentar “consolar” os pais que recém perderam os filhos. Frases como “Logo vocês terão outro filho”, “Foi melhor assim”, “Ele poderia ter alguma doença”, “Pelo menos foi no começo”, ou “Vocês vão superar” não ajudam. É direito dos pais sentir, falar e honrar sempre a existência e partida do filho, seja ele o primogênito, o do meio ou o último.


Dia da Sensibilização à Perda Gestacional - 15 de outubro

 

É em homenagem aos filhos que viraram “anjinhos” tão cedo que o Da Dor ao Amor participará da Campanha Internacional Wave of Light (em português, Onda de Luz), comemorado nesta quinta-feira, 15. A data marca o Dia da Sensibilização à Perda Gestacional.

Diferente de 2019, quando a data foi comemorada em conjunto em Fortaleza, 2020 terá um encontro virtual. O acolhimento do grupo fortalezense ocorrerá pelo Google Meets, às 19h, em link disponibilizado na biografia do Instagram do Da Dor ao Amor.

Além de pais, convidam-se aqueles familiares que também viveram a perda dos sobrinhos, netos e amigos. Tatiana lembra também que, mesmo os que não participarem da reunião, podem acender uma vela em sua casa em memória às famílias e crianças.

Wave of Light


Data: 15 de outubro
Hora: 19h
Local: Reunião virtual no Google Meet (link no instagram do grupo)
Grupo Da dor ao Amor
Contato: Tatiana Viana – (85) 99919-2526
Instagram: instagram.com/dadoraoamor.