PUBLICIDADE
Ceará
NOTÍCIA

Cinco internos e 55 servidores dos centros socioeducativos têm casos confirmados de Covid-19

Os dados foram requisitados ao portal Ceará Transparente, do Governo do Estado. A contagem foi realizada entre os dias 28 de abril e 15 de maio. Foram testadas 244 pessoas

00:00 | 19/05/2020
Centro Socioeducativo Passaré (Foto: FCO FONTENELE)
Centro Socioeducativo Passaré (Foto: FCO FONTENELE)

Os casos de Covid-19 ultrapassaram os muros dos centros socioeducativos do Ceará. Cinco adolescentes internos e 55 servidores testaram positivo para o novo coronavírus, entre os dias 28 de abril e 15 de maio. Os dados foram requisitados pelo O POVO ao portal Ceará Transparente, do Governo do Estado, no último dia 13 de maio e respondidos no fim da tarde desta segunda, 18. Um total de 244 pessoas fez o teste para a doença.

Entre os jovens, dois casos foram registrados no Aldaci Barbosa Mota, no bairro Padre Andrade, e três no Centro Socioeducativo de Sobral. Os servidores que testaram positivos trabalham no Aldaci Barbosa Mota (6 casos), Unidade de Recepção Luís Barros Montenegro (2), Mártir Francisca (1), Passaré (9), Dom Bosco (8), São Francisco (6), São Miguel (5), Cardeal Aloísio Lorsheider (11), Patativa do Assaré (2), Canindezinho (4) e sede da Superintendência do Sistema Estadual de Atendimento Socioeducativo - Seas (1). Os jovens que tiveram casos suspeitos da doença foram 23 e, entre os servidores, 338 servidores.

Entre os 18 locais de acolhimento, apenas os centros de Semiliberdade de Crateús e de Iguatu não apresentaram casos suspeitos ou confirmados para a Covid-19. Outros cinco centros, o de Semiliberdade de Sobral, Dr Zequinha Parente (em Sobral), o Centro Socioeducativo de Sobral, José Bezerra de Menezes (em Juazeiro do Norte) e o de Semiliberdade de Juazeiro do Norte tiveram casos suspeitos descartados após a realização do teste.

Dez internos aguardam o resultado dos testes: um no Centro Socieducativo Dom Bosco, no bairro Passaré; dois no São Miguel, no bairro Jardim União; três no Cardeal Aloísio Lorscheider, no Planalto Ayrton Senna; três no Canindezinho, no bairro homônimo e um no Dr Zequinha Parente, em Sobral. Para três desses jovens, dois no Aldaci Barbosa Mota e um no de Sobral, foi feita uma retestagem. Eles apresentaram resultado negativo, mas ainda apresentam sintomas da doença e permanecem em isolamento para uma segunda testagem.

Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH) emitiu, nesta sexta-feira, 20, uma circular recomendando medidas a serem tomadas pelos gestores estaduais de unidades socioeducativas diante da pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

Segundo o Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos, a pasta não é a gestora direta do sistema socioeducativo. No entanto, diante do quadro de pandemia que se encontra o País, a Secretaria Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (SNDCA) recomendou ações para proteção dos jovens. A circular recomenda a mudança de critérios ou a suspensão de visitas, uma atuação conjunta com as polícias militares na elaboração de um protocolo de atuação ou gerenciamento de crises.

O documento deixa claro que "quaisquer medidas restritivas sejam acompanhadas de planejamento para que não comprometam a regularidade dos atendimentos obrigatórios das medidas socioeducativas". Ainda de acordo com o documento, a eventual suspensão de visitas, saídas e demais restrições não devem cessar o contato entre os adolescentes e suas referências familiares, o que pode ser feito por telefone, por exemplo.

Em nota enviada pela assessoria de imprensa, a Superintendência do Sistema Estadual de Atendimento Socioeducativo (Seas) informa que está adotando todas as medidas de prevenção contra o coronavírus em todos os Centros Socioeducativos do Estado, de acordo com as orientações passadas pela Secretaria da Saúde do Estado (Sesa). Inclusive com testagem rápida em seus servidores, terceirizados, e internos para antecipar casos suspeitos, promover um tratamento entre casos confirmados e prevenir a disseminação do coronavírus nos Centros Socioeducativos. A testagem segue um protocolo estabelecido pela Seas e está definido na Nota Técnica 01/2020, disponível no link

As atividades internas dos adolescentes em cumprimento de medida socioeducativa continuam sendo realizadas porém, de acordo com a nota, foram redefinidas, evitando-se aglomerações e seguindo as orientações de higienização da equipe de Saúde.

As ações que estão sendo tomadas pela Seas estão baseadas no Plano de Contingência.

O Plano de Contingência da Seas prevê ainda

- Avaliação diária do estado de saúde de funcionários e internos das unidades socioeducativas;
- Ações educativas de informações e tira dúvidas sobre o coronavírus;
- Distribuição de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) para todos os colaboradores, bem como materiais de higiene, como sabão antisséptico e álcool em gel;
- Treinamento para equipe interna para lidar com situações de casos suspeitos e evidenciados;
- A recomendação é que em casos suspeitos os adolescentes sejam isolados e monitorados em espaços individualizados, sem contato com outros internos da referida unidade;
- Equipes de saúde treinadas para atendimento de casos suspeitos conforme protocolos estabelecidos pelos órgãos de saúde;
- Unidade de referência para tratamento de casos positivos;
- Distribuição, normatização e fiscalização para que os servidores utilizem os equipamentos de proteção individual e higiene;
- Suspensão de visitas familiares;
- Realização de testes, em colaboradores e internos, para casos que estejam dentro dos critérios estabelecidos no protocolo de atendimento da Secretaria de Saúde.
A Seas informa que todos os casos suspeitos serão testados, conforme agendamento que está sendo realizado pela equipe de saúde da instituição.