PUBLICIDADE
Ceará
Noticia

Rede de Atenção é lançada para garantir mais apoio às vítimas de violência doméstica

A iniciativa tem como objetivo promover o acesso rápido e acolhedor ao serviço de saúde para cuidar, orientar e dar o suporte necessário a mulheres, crianças e adolescentes vítimas de violência

15:00 | 27/11/2019

Mulheres, crianças e adolescentes que sofreram algum tipo de violência receberão atendimento integrado entre órgãos ligados à Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa). A Rede Estadual de Atenção promoverá a parceria entre os órgãos que atuam nos serviços de garantia de proteção social e direitos humanos, nos âmbitos estadual e municipal. O objetivo é qualificar a assistência na linha de cuidado da mulher. 

A iniciativa foi apresentada na última terça-feira, 26, durante reunião realizada na Sesa. De acordo com a secretária executiva da Saúde Mental da Sesa, Lisiane Cysne, os atendimentos estarão voltados para dar mais celeridade às iniciativas de proteção e apoio psicológico às vítimas de violência. “Esse projeto dará suporte às mulheres, possibilitando atendimento integral e o encaminhamento necessário aos serviços de saúde do Estado. De forma ágil e especializada”, garante.

Maria da Penha

A solenidade contou com a participação de Maria da Penha, que dividiu um pouco da sua história de sobrevivência à violência doméstica. Ela tornou-se conhecida em 2006, quando deu nome à Lei nº 11.340, lei federal brasileira, cujo objetivo principal é estipular punição adequada e coibir atos de violência doméstica contra a mulher.

Considerada símbolo de luta pela vida livre de violência, Maria da Penha reconhece a importância da Rede de Atenção. “Cuidar das mulheres que sofreram violência física e psicológica é importante. Essa rede é necessária, pois lida diretamente com o enfrentamento à violência. Geralmente, a vítima silencia para não se expor. Está na cultura silenciar o sofrimento, mas estamos em outra época. É tempo de denunciar. A denúncia tem que acontecer”, afirma.

A cerimônia contou ainda com a presença da promotora e coordenadora do Núcleo de Atendimento às Vítimas de Violência (NUAVV) do Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE), Joseana França; além da participação de membros do Conselho Estadual de Saúde (Cesau) e Conselho das Secretarias Municipais de Saúde do Ceará (Cosems/CE), entre outras autoridades.