PUBLICIDADE
Ceará
Noticia

Ceará não registra manchas de óleo há uma semana, afirma Semace

Dezoito prefeitos e secretários se reuniram com a Semace e outros órgãos de atuação ambiental nesta sexta-feira, 22. Cartilha foi lançada para orientar sobre o que fazer ao se deparar com o óleo

17:00 | 22/11/2019
Os representantes dos municípios foram orientados sobre como proceder no caso de necessidade de ações de limpeza, caso detectem óleo nas praias.
Os representantes dos municípios foram orientados sobre como proceder no caso de necessidade de ações de limpeza, caso detectem óleo nas praias. (Foto: ALEX GOMES/Especial para O POVO)

A Superintendência Estadual do Meio Ambiente (Semace) informou, durante reunião nesta sexta-feira, 22, que o Ceará não registra novas ocorrências de manchas de óleo há uma semana. Estiveram no encontro 18 prefeitos e secretários dos municípios da faixa litorânea cearense, além dos diretores de seis órgãos públicos que atuam no combate ao aparecimento das manchas.

A solenidade também foi marcada para apresentar uma cartilha educativa produzida pela Casa Civil do Estado, contendo orientações sobre o que fazer ao se deparar com a substância nas praias. O material será distribuído para a população e em escolas. A cartilha também será usada em atividades de educação ambiental entre os pescadores e turistas.

Durante a reunião, foi apresentado boletim com informações sobre as ações realizadas para monitoramento, prevenção e limpeza dos resíduos da mancha de óleo. Na ocasião, participaram representantes dos municípios de Trairi, Caucaia, Acaraú, Camocim, Barroquinha, Aquiraz, Fortim, Fortaleza, Cruz, Jijoca, Cascavel, Amontada, Beberibe, Aracati, Itapipoca, Paraipaba, Icapuí, Itarema.

De acordo com o titular da Secretaria do Meio Ambiente (Sema), Arthur Bruno, a preocupação é em relação aos pescadores e marisqueiros, que vivem dos frutos do mar. “As ações de prevenção e mitigação de impactos decorrentes do derramamento de óleo em nosso Estado, como a barreira de proteção na foz do Jaguaribe, que já é um case nacional, estão dando resultado”, explica.

O superintendente do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Carlos Alberto, destacou a iniciativa de enviar 22 toneladas de óleo já coletadas para a cimenteira Apodi, em Quixeré. O material passará por coprocessamento.

Capes destina R$ 1,3 milhão para projetos de combate ao derramamento de óleo nas praias brasileiras

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) destinou, nesta sexta-feira, 22, R$ 1,3 milhão para iniciativas de projetos de combate ao derramamento de óleo nas praias brasileiras. O programa irá oferecer incentivos para docentes de pós-graduação que tenham linhas de pesquisa relacionadas ao derramamento de óleo nas praias brasileiras.

As propostas que serão escolhidas receberão financiamento de até R$ 100 mil, para contribuição da contenção e processamento correto dos resíduos encontrados nas praias que foram atingidas durante o mês de agosto. A seleção exigirá que o projeto seja desenvolvido durante dois anos, com possível prorrogação de um ano.

As propostas devem ser encaminhadas de 25 de novembro até 4 de dezembro, por uma plataforma online da Capes. Poderão participar docentes vinculados a mestrados e doutorados reconhecidos pela Capes. Os projetos serão apreciados por um comitê formado por representantes da fundação e da comunidade científica.

Por se tratar de um dano grave com necessidade de resolução rápida, o processo será feito por meio de Edital de Seleção Emergencial.

A Capes sinaliza seis temas prioritários de linha de pesquisa:

Impactos ambientais;

Avaliação dos impactos socioeconômicos;

Biorremediadores;

Dispersão do óleo;

Processamento de resíduos;

Tecnologia aplicada à contenção do óleo.