PUBLICIDADE
Ceará
NOTÍCIA

Transferência de água do Castanhão para Fortaleza é suspensa e limitada para o Jaguaribe

O limite da vazão média do Castanhão foi reduzido para 3,5 metros cúbicos por segundo para a perenização do rio Jaguaribe até dia 30 de junho, conforme resolução do Conselho de Recursos Hídricos do Ceará. Não haverá liberação de água para Fortaleza, que será abastecida pelos açudes da Região Metropolitana, que tiveram bons aportes. Objetivo é resguardar água do maior açude do Ceará, aproveitando as chuvas atuais para economizar

18:58 | 17/04/2019
Açude Castanhão, o maior do Ceará
Açude Castanhão, o maior do Ceará(Foto: JULIO CAESAR)

Foi publicada no Diário Oficial do Estado (DOE) dessa terça-feira, 16, resolução que limita a vazão do açude Castanhão para perenização do rio Jaguaribe a 3,5 metros cúbicos por segundo. Para Fortaleza e Região Metropolitana, não haverá transferência de água no período. A Capital e municípios próximos seguirão abastecidos pelos reservatórios do sistema metropolitano, que tiveram boas recargas com as chuvas desta quadra chuvosa.

Até então, eram liberados 5 metros cúbicos por segundo para Fortaleza e 6,7 metros cúbicos por segundo para o Vale do Jaguaribe.

A medida é válida até o próximo dia 30 de junho. O documento foi assinado pelo presidente do Conselho de Recursos Hídricos do Ceará (Conerh), Francisco José Coelho Teixeira, e pelo secretário executivo, Carlos Magno Feijó Campelo. Porém, em caso de emergência ou mudança de cenário, a resolução pode ser alterada antes desse prazo, na próxima reunião mensal do Conerh. A redução da vazão já passou a vigorar antes mesmo da publicação, após a reunião do Conerh.

A intenção, com isso, é aproveitar que o período chuvoso permite manter o abastecimento dos municípios sem necessidade de usar a água do Castanhão. Com isso, a intenção é permitir ao Castanhão armazenar mais água até o fim da quadra chuvosa, em 31 de maio, e no mês seguinte. Uma forma de ter reservas para quando a situação é mais crítica e quando não há chuvas significativas no Ceará, no segundo semestre.

Na prática, atualmente a vazão liberada para o Jaguaribe está abaixo dos 3,5 metros cúbicos por segundo definidos como limite. Isso porque as chuvas desta quadra têm permitido manter o abastecimento com nível menor de liberação

Panorama do Castanhão

Maior açude do Ceará, o Castanhão foi o reservatório que teve segundo maior aporte deste ano, atrás apenas do Araras. Apesar disso, a situação ainda é crítica. Com a água recebida, pela primeira vez no ano o Castanhão ficou acima de 5% de sua capacidade máxima. Atualmente, o nível é de 5,12%.

Larissa Carvalho