PUBLICIDADE
Notícias
Sistema de Esgotamento Sanitário

Cagece demite quatro funcionários sob alegação de irregularidade em licitação de obra em Tauá

Companhia informa que teve prejuízo de aproximadamente R$ 7,3 milhões. Ex-funcionários defendem-se declarando "perseguição"

22:07 | 19/02/2019

A Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) recentemente demitiu quatro funcionários sob a suspeita de terem cometido irregularidade em licitação de obra no Sistema de Esgotamento Sanitário (SES) de Tauá – município distante 337 quilômetros de Fortaleza. A empresa informa prejuízo de aproximadamente R$ 7,3 milhões. Profissionais se defendem, no entanto, acusando a empresa de “perseguição”.

A informação foi divulgada na edição desta terça-feira, 19, do jornal Diário do Nordeste. Irregularidade teria sido identificada em contrato de 2013 relativo à ampliação do SES, que é um conjunto de instalações e equipamentos que coletam e encaminham o esgoto sanitário a um destino adequado.

“Foram observados procedimentos internos não conformes, ocasionando prejuízos contratuais”, comunicou a Cagece, por meio de nota. Medidas adotadas pela política interna da empresa foi a demissão de dois coordenadores, do gestor e do engenheiro de fiscalização da obra.

Um dos coordenadores demitidos é Delano Gondim, que informou nesta terça-feira, 19, que ele e os demais ex-funcionários vão se pronunciar apenas por meio da advogada Marisley Brito – que é quem está cuidando do caso. Ela e os acusados estiveram reunidos durante esta tarde.

De acordo com a Cagece, o contrato com a empresa responsável pela obra na cidade que fica na região dos Inhamuns foi rescindido. A contratante ainda recebeu multa e declaração de inidoneidade.

“A Cagece já ajuizou ação para ser indenizada dos prejuízos, estando ora em tramitação no Poder Judiciário”, complementou a companhia.

O Povo