PUBLICIDADE
Notícias
5,7 toneladas

Polícia prende sexto homem suspeito do roubo de explosivos em Aquiraz

O caso ocorreu em 20 de dezembro do ano passado; a carga total era de 5,7 toneladas de explosivos

18:20 | 11/02/2019
Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE) divulgou informações sobre a prisão do sexto homem suspeito de envolvimento no roubo de carga de explosivos em dezembro de 2018. (Foto: Jullie Vieira/ Especial para O POVO)
Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE) divulgou informações sobre a prisão do sexto homem suspeito de envolvimento no roubo de carga de explosivos em dezembro de 2018. (Foto: Jullie Vieira/ Especial para O POVO)

A Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE) capturou na última sexta-feira, 8, o sexto suspeito de envolvimento no roubo de um caminhão com explosivos no dia 20 de dezembro do ano passado, em Aquiraz (Região Metropolitana de Fortaleza). A carga total era de 5,7 toneladas de explosivos. As informações foram divulgadas nesta segunda-feira, 11, durante uma coletiva de imprensa realizada na sede do Complexo de Delegacias Especializadas (Code).

O homem conhecido pelo apelido de "Chico Bento" foi identificado como Francisco Antônio Pinheiro de 34 anos. O suspeito é apontado como o motorista que deu cobertura à ação criminosa, que teve ainda a participação direta de outros três pessoas. Ele foi preso em sua residência no bairro Granja Lisboa.

Na ocasião, o motorista do veículo foi abordado por quatro pessoas e chegou a ser amarrado e abandonado em Itaitinga. O caminhão foi deixado em Maracanaú, já sem a carga. Além de massa explosiva e bananas de dinamites, foram levados 3 mil metros de cordel detonante e 430 peças de detonadores não elétricos.

Chico Bento já possuía uma ampla ficha criminal por injúria, ameaça, roubo, receptação, associação criminosa, lesão corporal, desobediência, corrupção ativa, desacato, violência doméstica, perturbar o sossego alheio, crime contra a ordem econômica, crime ambiental e crime de trânsito. O suspeito será indiciado por roubo, receptação e por integrar organização criminosa.

Sete pessoas suspeitas no envolvimento do roubo a carga de explosivos foram capturadas. A Polícia Civil realiza diligências para capturar Welyson Nogueira Fernandes Gomes de 21 anos, o “Cueca”, que é apontado por negociar a venda dos explosivos roubados para o detento Daniel Belmiro José Rodrigues, conhecido pelo apelido de “Negão”, suspeitos de integrar o bando.

Confira a ordem cronológica das prisões realizadas durante a operação da Polícia Civil que resultou na prisão de sete suspeitos no envolvimento ao roubo de carga de explosivos em Aquiraz, em dezembro de 2018.

Antônio Carlos Ávila Costa, 27 anos, preso no dia 12 de janeiro. Indiciado por integração criminosa, posse irregular de arma de fogo e posse ilegal de arma de uso restrito.

Vinícius Ávila , 23 anos, preso no dia 12 de janeiro. Indiciado por integração criminosa, posse irregular de arma de fogo e posse ilegal de arma de uso restrito.

Francisco Diego Cunha Ferreira, 25 anos, preso no dia 12 janeiro. Indiciado por integração criminosa, posse irregular de arma de fogo e posse ilegal de arma de uso restrito.

Marcelo Pereira dos Santos Filho, 20 anos. Preso dia 12 de janeiro. Indiciado por integração criminosa, posse irregular de arma de fogo e posse ilegal de arma de uso restrito.

Antônio Breno da Silva Pinheiro, 24 anos. Preso dia 12 de janeiro. Indiciado por integração criminosa, posse irregular de arma de fogo e posse ilegal de arma de uso restrito.

Jeferson Igor Alves, 24 anos. Preso dia 12 de janeiro. Indiciado por integração criminosa, posse irregular de arma de fogo e posse ilegal de arma de uso restrito.

José Gil Ferreira da Silva “Tizil”, 22 anos. Preso no dia 14 de janeiro. Indiciado por integrar organização criminosa. “Tizil” participou do roubo da carga de explosivo, além disso ele participou da negociação da venda da carga para Daniel Belmiro José Rodrigues de 47 anos, preso na CPPL 1 e transferido para o presídio federal em Mossoró-RN.

Francisco Antônio Pinheiro “Chico Bento”, 34 anos. Preso dia 8 de fevereiro. Indiciado por integrar organização criminosa, injúria, ameaça, roubo, receptação, associação criminosa, lesão corporal, desobediência, corrupção ativa, desacato, violência doméstica, perturbar o sossego alheio, crime contra a ordem econômica, crime ambiental e crime de trânsito.

 

Jullie Vieira