Participamos do

Com avanço do nível do mar, parte de calçadão cede no Recife

Há anos, o avanço do nível do mar tem limitado o tráfego e, consequentemente, o comércio nas áreas
08:39 | Jan. 26, 2022
Autor Jornal do Commercio
Foto do autor
Jornal do Commercio Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Moradores do Janga, em Paulista, na Região Metropolitana do Recife, estão se queixando de trecho do calçadão da orla que cedeu. O JC esteve no local, nesta terça-feira (25) e registrou que parte da estrutura está bastante danificada pelo avanço do mar.

Na página Paulista em 1º Lugar, foi publicado um vídeo, nesta terça-feira de um homem reclamando da situação. "Destaque negativo, bancos caídos, jogados pela Prefeitura de Paulista".

O JC enviou e-mail à Prefeitura de Paulista solicitando posicionamento sobre quando será restaurado o local e por qual motivo não há um isolamento da área. Até a publicação desta matéria, não houve resposta.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

No mês passado, a TV Jornal mostrou que usufruir da faixa de areia para caminhadas, descanso e outras atividades de lazer na praia não é mais uma realidade para quem frequenta trechos da praia do Janga e de Pau Amarelo, em Paulista, Grande Recife.

Há anos, o avanço do nível do mar tem limitado o tráfego e, consequentemente, o comércio nas áreas. Tanto que a prefeitura do município chegou a decretar estado de emergência devido ao fenômeno.

Prefeito


O decreto nº 094/2021 foi assinado pelo prefeito Yves Ribeiro no dia 23 de agosto de 2021, baseado em parecer da Defesa Civil. O órgão determinou que os pontos mais críticos são os trechos das ruas Baronesa e do Mosteiro, ambas em Pau Amarelo, e um trecho do Janga não informado pela prefeitura.

Ao JC, em 02 de dezembro de 2021, Paulista informou que obras de enrocamento aderente - estruturas implantadas paralelamente à linha de costas com a função de estabilizar a linha de costa - seriam feitas, de imediato, nos locais prejudicados pelo avanço do mar. A gestão informou que um convênio com o governo estadual está sendo firmado para disponibilizar R$ 2,8 milhões para a realização das obras, além de recursos próprios do município, também aplicados no serviço.

 

Do Jornal do Commercio para a Rede Nordeste

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags