select ds_midia_link from midia where cd_midia = limit 1
Termo de Uso Política de Privacidade Política de Cookies Conheça O POVO Trabalhe Conosco Fale com a gente Assine Ombudsman
Participamos do

Morre ex-ministro da Cultura Francisco Weffort

Autor - Agência Brasil
Foto do autor
- Agência Brasil Autor
Tipo Notícia

O ex-ministro da Cultura Francisco Correa Weffort morreu ontem (1), aos 84 anos, ap√≥s um infarto do mioc√°rdio, segundo informa√ß√Ķes confirmadas hoje (2) pela Casa de Sa√ļde S√£o Jos√©, no Rio de Janeiro. Cientista pol√≠tico e professor universit√°rio, Weffort ocupou a pasta durante os dois mandatos do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB), de 1995 e 2002.

Antes de integrar o governo FHC, Weffort participou da funda√ß√£o do Partido dos Trabalhadores (PT), em 1980, e foi secret√°rio-geral do partido na d√©cada de 1980. O cientista pol√≠tico tamb√©m participou da mobiliza√ß√£o para a realiza√ß√£o de elei√ß√Ķes diretas para presidente da Rep√ļblica, em 1984.

O ex-ministro nasceu em Quatá, em São Paulo, em 17 de maio de 1937, e se formou em ciências sociais na Universidade de São Paulo (USP), onde começou a lecionar em 1961.

Weffort também foi professor visitante da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), já nos anos 2000, e, ao longo de sua carreira, também atuou em universidades no exterior.

Fora do pa√≠s, seu curr√≠culo inclui o Instituto Latino-Americano de Planifica√ß√£o Econ√īmica e Social (Ilpes), no Chile; a Universidade de La Plata, na Argentina, e as universidades americanas de Woodrow Wilson Center e no Helen Kellogg Institute, da Universidade de Notre Dame.

D√ļvidas, Cr√≠ticas e Sugest√Ķes? Fale com a gente

Tags

MJ autoriza retorno gradual de visitas presenciais a presos

Geral
2021-08-02 10:23:19
Autor Agência Brasil
Foto do autor
Agência Brasil Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O Minist√©rio da Justi√ßa e Seguran√ßa P√ļblica (MJ) publicou, no Di√°rio Oficial da Uni√£o de¬†hoje¬†(2), portaria que¬†autoriza o retorno gradual das visitas presenciais de c√īnjuges, companheiros e parentes a presos custodiados em penitenci√°rias federais. De acordo com a Portaria n¬ļ14, est√£o mantidas as visitas virtuais para atendimentos de advogados, por interm√©dio da Defensoria P√ļblica da Uni√£o.

O retorno, segundo a portaria, ser√° gradual. Cada preso¬†ter√° direito a uma visita presencial mensal ‚Äúem parlat√≥rio e com dura√ß√£o de uma hora‚ÄĚ, sendo permitida a entrada de um adulto, podendo estar acompanhado de uma crian√ßa ou adolescente.

Para prevenir contamina√ß√Ķes por covid-19, s√≥ ser√° permitida a visita de pessoas que comprovem¬†ter¬†recebido as duas doses da vacina, ou a vacina de dose √ļnica, h√° mais de 14 dias. A apresenta√ß√£o do cart√£o de vacina√ß√£o original pelo visitante √© obrigat√≥ria¬†no dia da visita. A aferi√ß√£o de temperatura e de sintomas gripais tamb√©m ser√° obrigat√≥ria aos visitantes.

Já os atendimentos de advogados continuam limitados a quatro agendamentos por dia, com duração de 30 minutos, sem prejuízo dos casos urgentes. A portaria autoriza atividades de educação e de assistência religiosa aos presos custodiados.

As escoltas de presos continuam suspensas¬†‚Äúexceto quando se tratar de escoltas requisitadas judicialmente, inclus√Ķes emergenciais e daquelas que, por sua natureza, precisem ser realizadas em atendimento ao interesse p√ļblico‚ÄĚ.

Por fim, a portaria informa que as penitenciárias federais deverão observar o procedimento operacional padrão de medidas de controle e prevenção do novo coronavírus do sistema penitenciário federal, de modo a reforçar a frequência da higienização dos locais destinados aos atendimentos e às visitas, bem como o uso obrigatório de máscara.

D√ļvidas, Cr√≠ticas e Sugest√Ķes? Fale com a gente

Tags

São Paulo reinicia rodízio de veículos nesta segunda-feira

Geral
2021-08-02 07:52:40
Autor Agência Brasil
Foto do autor
Agência Brasil Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O rodízio para veículos leves em São Paulo voltará a ser válido nos horários de pico da manhã (7h às 10h) e da tarde (17h às 20h), de segunda a sexta-feira.

A partir desta segunda-feira (2) volta a vigorar na cidade de S√£o Paulo o rod√≠zio de ve√≠culos, dentro do Programa de Restri√ß√£o ao Tr√Ęnsito de Ve√≠culos Automotores. Ele estava suspenso para carros desde 22 de mar√ßo.

O rod√≠zio para ve√≠culos leves voltar√° a ser v√°lido nos hor√°rios de pico da manh√£ (7h √†s 10h) e da tarde (17h √†s 20h), de segunda a sexta-feira. N√£o poder√£o circular, nos hor√°rios estabelecidos, ve√≠culos automotores, inclusive caminh√Ķes, com os seguintes finais de placas:

Segundas-feiras: dígitos finais 1 e 2;

Terças-feiras: dígitos finais 3 e 4;

Quartas-feiras: dígitos finais 5 e 6;

Quintas-feiras: dígitos finais 7 e 8;

Sextas-feiras: dígitos finais 9 e 0.

A capital paulista adotou o rodízio em horário noturno para veículos leves entre 22 de março e 30 de julho, acompanhando o toque de restrição decretado pelo governo do estado. 

D√ļvidas, Cr√≠ticas e Sugest√Ķes? Fale com a gente

Tags

Presidente da Caixa é o convidado do Sem Censura de hoje

Geral
2021-08-02 06:37:55
Autor Agência Brasil
Foto do autor
Agência Brasil Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O programa Sem Censura desta segunda (2) recebe o presidente da Caixa Econ√īmica Federal, Pedro Guimar√£es. A jornalista Marina Machado conversa, ao vivo, a partir das 21h30, com Guimar√£es sobre a transforma√ß√£o digital do banco e as perspectivas do cen√°rio econ√īmico do pa√≠s.

O programa também recebe dois debatedores especialistas, os jornalistas Raphael Veleda (Metrópoles) e Débora Bergamasco (SBT). No debate, várias pautas da atual gestão da Caixa, como as iniciativas para expansão da atuação do banco pelo País.

Pedro Guimar√£es tem mais de 20 anos de experi√™ncia no mercado financeiro, tendo coordenado diversas opera√ß√Ķes no √Ęmbito de mercado de capitais. √Č Ph.D. e mestre em economia pela University of Rochester, mestre em economia pela FGV/RJ e bacharel em economia pela PUC/RJ.

Presidente da Caixa desde 2019, ele liderou em 2020 o maior movimento de inclus√£o social, digital e financeira do Brasil, que consistiu no pagamento de Aux√≠lio Emergencial para a popula√ß√£o mais carente, alcan√ßando mais de 67,9 milh√Ķes de pessoas, totalizando mais de R$ 293,1 bilh√Ķes em pagamentos.

Em seu novo formato semanal, o programa Sem Censura ganha ritmo √°gil e linguagem clara e direta com a participa√ß√£o de debatedores convidados e intera√ß√£o do p√ļblico, que pode participar usando a hashtag #novoSemCensura, no Facebook, Twitter e Youtube.

O programa √© transmitido para todo o Pa√≠s em TV aberta por meio das emissoras afiliadas √† Rede Nacional de Comunica√ß√£o P√ļblica (RNCP/TV), gerida pela Empresa Brasil de Comunica√ß√£o (EBC) e tamb√©m por outras plataformas ao vivo e on demand.

Como assistir

Acompanhe a programação da TV Brasil pelo canal aberto, TV por assinatura e parabólica. Clique aqui para saber como sintonizar a programação da TV Brasil.

Seus programas favoritos também estão no TV Brasil Play, pelo site ou por aplicativo no smartphone. O aplicativo pode ser baixado gratuitamente e está disponível para Android e iOS.

Assista também pela WebTV: tvbrasil.ebc.com.br/webtv. 

A TV Brasil também está presente nas redes sociais:

Facebook: facebook.com/tvbrasil

Twitter: twitter.com/TVBrasil

Youtube: https://www.youtube.com/user/tvbrasil

D√ļvidas, Cr√≠ticas e Sugest√Ķes? Fale com a gente

Tags

Descaso transformou memória do cinema em cinzas

Editorial
2021-08-01 22:52:47
Autor
Tipo Opini√£o

É mais do que compreensível a revolta de artistas e de parte da sociedade com o incêndio que atingiu um dos galpões da Cinemateca Brasileira - uma das maiores do mundo -, na noite da última quinta-feira, 29. Não foi apenas um acidente, foi a mais pura obra do descaso e da incompetência, tendo em vista que há mais de um ano o Ministério Público Federal (MPF) alertava para os riscos que o local apresentava, sem falar nos sequentes protestos de funcionários do órgão contra o abandono do acervo por parte do Executivo. Mas nada conseguiu sensibilizar as autoridades. Resultado: toneladas de arquivos, filmes, documentos históricos - alguns com mais de 100 anos -, e equipamentos raros viraram cinzas. Uma catástrofe. Símbolo trágico de um projeto que tem relegado a cultura ao mais baixo patamar das últimas décadas, provocando crise de dimensões inéditas.

Não que a cultura tenha sido prioridade absoluta em outras gestões, mas o que se observa atualmente são tentativas constantes de deslegitimação de artistas das mais variadas áreas, numa espécie de guerra ideológica prejudicial ao País e que tem, no caso da Cinemateca, um dos episódios mais tristes. Um conjunto considerável de relíquias da nossa produção audiovisual, que inclusive seria usado em um novo museu, desapareceu. É perda irreparável, apagando para sempre um pedaço da memória do nosso cinema, e também da própria história do Brasil.

O martírio começou lá em 2019, quando encerrou-se um contrato administrativo com a Organização Social Associação Comunicação Educativa Roquette Pinto (Acerp). Não houve nova licitação e a Cinemateca foi deixada ao Deus dará por sete meses. Após muita pressão, a ponto de o MPF pedir a tutela do espaço tamanha era a negligência, o governo federal assumiu a gestão do local, sem executar nada de efetivo para evitar que o pior acontecesse. Em nota, a Secretaria Especial da Cultura afirmou que "todo o sistema de climatização do espaço passou por manutenção há cerca de um mês como parte do esforço para manter o acervo da instituição". Pelo visto, um serviço muito do malfeito, já que as investigações preliminares apontam que o fogo começou em um ar-condicionado. Fora que isso seria uma ação mínima. Os cuidados com o prédio são de ordem muito mais complexa, exigindo mão-de-obra qualificada para lidar com materiais com alto poder de combustão. Somente na última sexta-feira, poucas horas após o incêndio, o governo resolveu publicar edital para contratação de entidade gestora da Cinemateca.

Já o atual titular da pasta, Mário Frias, em vez de tratar o assunto com a seriedade que merece, culpou o Partido dos Trabalhadores (PT) pela tragédia. Se a sigla estivesse no poder até ontem, faria algum sentido falar em "herança maldita". Mas já faz cinco anos que a sigla deixou o Palácio do Planalto. O sucateamento é do presente, estando o futuro do nosso patrimônio cinematográfico em xeque.

 

D√ļvidas, Cr√≠ticas e Sugest√Ķes? Fale com a gente

Tags

Manifesta√ß√Ķes pelo voto audit√°vel re√ļnem pessoas em v√°rias capitais

Geral
2021-08-01 19:07:29
Autor Agência Brasil
Foto do autor
Agência Brasil Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Milhares de pessoas foram √†s ruas, neste domingo (1¬ļ), em uma manifesta√ß√£o pelo voto impresso audit√°vel¬†nas elei√ß√Ķes de 2022. Os atos ocorrem em v√°rias cidades e, principalmente, nas capitais. Pela manh√£, ocorreram atos¬†em Bras√≠lia, no Rio de Janeiro, em Belo Horizonte, Goi√Ęnia, Salvador, Macei√≥ e S√£o Lu√≠s.

Em Belo Horizonte, a manifesta√ß√£o se concentrou na Pra√ßa da Liberdade e, em Salvador, no Farol da Barra. Na capital federal, as pessoas ficaram em frente ao Museu da Rep√ļblica, na Esplanada dos Minist√©rios. No Rio de Janeiro, os manifestantes ocuparam parte da Avenida Atl√Ęntica, em Copacabana.¬†

À tarde, milhares de manifestantes começaram a se reunir na Avenida Paulista, em frente ao Museu de Arte de São Paulo (Masp).

D√ļvidas, Cr√≠ticas e Sugest√Ķes? Fale com a gente

Tags