Termo de Uso Política de Privacidade Política de Cookies Conheça O POVO Trabalhe Conosco Fale com a gente Assine Ombudsman
Participamos do

Geração de resíduos domiciliares e urbanos cresce na pandemia

Autor - Agência Brasil
Foto do autor
- Agência Brasil Autor
Tipo Notícia

A geração de resíduos domiciliares e de limpeza urbana tiveram aumento médio de 10% no país em no ano passado, segundo levantamento da Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe).

Segundo a análise dos sistemas de coleta em diversos municípios, a quarentena contra a pandemia de covid-19, que fez com que mais pessoas trabalhassem em casa, concentrou a geração de resíduos fora das áreas comerciais e industriais.

“As medidas de isolamento social e a adesão ao home office, adotado por boa parte das empresas, influenciaram diretamente na geração de resíduos domiciliares, que antes eram gerados nos grandes centros e áreas corporativas, elevando a demanda pelos serviços de limpeza urbana nas cidades”, explica o diretor-presidente da Abrelpe, Carlos Silva Filho.

O Panorama dos Resíduos Sólidos no Brasil, divulgado pela entidade no final do ano passado, mostra que, em 2019, a média per capita no país era de 379,1 quilos de resíduos sólidos gerados por ano. Em 2010, cada pessoa produzia em média 348,3 quilos de resíduos por ano.

Recicláveis

As mudanças de hábito durante a pandemia também mudaram o perfil dos resíduos urbanos, com um aumento médio de 25% na quantidade de materiais recicláveis coletados. De acordo com a Abrelpe, isso está ligado ao aumento das compras pela internet, que necessitam de mais embalagens para o envio dos produtos.

Segundo a associação, o crescimento do uso desses materiais não foi, entretanto, acompanhado de um aumento da reciclagem. “A reciclagem propriamente dita não cresceu na mesma proporção, já que boa parte do volume coletado foi encaminhada para unidades de disposição final devido ao fechamento ou à diminuição da atuação nas unidades de triagem em diversas cidades durante boa parte do ano passado”, destaca Silva Filho ao comentar como o trabalho das unidades de reciclagem também foi impactado pela pandemia.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

CPI da Covid avalia pedido de quebra de sigilo bancário da Jovem Pan

Política
2021-08-02 14:37:00
Autor Vítor Magalhães
Foto do autor
Vítor Magalhães Autor
Ver perfil do autor
Tipo Noticia

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid pode votar, nesta semana de retomada dos trabalhos, requerimento feito pelo relator da comissão, senador Renan Calheiros (MDB), que pede a quebra do sigilo bancário do grupo Jovem Pan por considerá-lo um “grande disseminador de fake news” sobre a pandemia no País.

O requerimento pede os dados bancários da empresa, desde o início de 2018, e comparação dos valores nas contas antes e depois da pandemia. A Jovem Pan disse que “pedidos do gênero são injustificáveis” e divulgou nota de repúdio. A assessoria de Calheiros afirmou que o pedido foi feito por técnicos do grupo de trabalho da CPI.

“Estranhamente, o requerimento estabelece que as investigações sejam feitas a partir de 2018. Segundo o documento que justificou a sua criação, a comissão foi instaurada com o objetivo de 'apurar as ações e omissões do governo federal no enfrentamento da pandemia da Covid-19 no Brasil' (...) A acusação de Calheiros, portanto, não se enquadra no fato determinado para a criação da CPI”, posicionou-se a Jovem Pan em nota.

E seguiu: “Os profissionais da Jovem Pan divulgam fatos e os analisam segundo diferentes pontos de vista. O autor do pedido não especifica quais profissionais disseminaram notícias mentirosas. Fica claro, portanto, que se trata de uma acusação genérica que tem por única finalidade cercear a liberdade de imprensa no Brasil”, encerra.

Os senadores ainda vão definir se votam o requerimento ou não. Dados da Agência Senado apontam que a comissão tem mais de 470 pedidos, dentre convocações, quebras de sigilos, informações e audiências públicas a serem apreciados.

A Associação Brasileira de Rádio e Televisão (Abratel), que representa os veículos de comunicação com sede no Brasil, também repudiou o pedido de quebra de sigilo bancário da Jovem Pan. Além da rádio, senadores pediram a quebra de sigilo bancário de sites e blogs bolsonaristas como o Terça Livre, que também é alvo do inquérito das Fake News no Supremo Tribunal Federal (STF).

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Apostas da Lotofácil da Independência começam hoje

Geral
2021-08-02 14:22:55
Autor Agência Brasil
Foto do autor
Agência Brasil Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Começam nesta segunda-feira (2) as apostas para a Lotofácil da Independência. O concurso número 2.320 será sorteado no dia 11 de setembro às 20h (horário de Brasília). A previsão inicial estimada do prêmio é de R$ 150 milhões.

De acordo com a Caixa, esta será a maior premiação da história da modalidade. O maior prêmio da Lotofácil da Independência, até então, foi pago no ano passado – R$ 124,9 milhões, divididos entre 50 apostas de 17 estados.

Como funciona

Assim como nos demais concursos especiais, o prêmio principal oferecido não acumula. Não havendo apostas premiadas com 15 números, o valor será dividido entre os acertadores de 14 números e assim sucessivamente.

Ainda segundo a Caixa, caso apenas um ganhador leve o prêmio e aplique todo o valor na poupança, ele receberá R$ 366,9 mil de rendimento no primeiro mês. Se preferir investir em imóveis, o banco destaca que seria possível adquirir 250 casas ou apartamentos no valor de R$ 600 mil cada.

As apostas podem ser realizadas em volantes específicos da Lotofácil da Independência, disponíveis nas lotéricas de todo o país.

No portal Loterias Caixa é possível adquirir um combo especial do sorteio, com 12 apostas para o concurso, bem como outros combos contendo apostas de outras modalidades, além do concurso especial.

Também é possível apostar pelo aplicativo Loterias Caixa. A aposta custa R$ 2,50 e o apostador deve escolher entre 15 a 20 números dentre os 25 disponíveis no volante.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Governo de São Paulo recebe nova remessa de IFA

Saúde
2021-08-02 12:58:00
Autor Agência Brasil
Foto do autor
Agência Brasil Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O governo de São Paulo recebeu na noite de ontem (1) um lote de 2 mil litros de insumo farmacêutico ativo (IFA) que viabilizará a produção de cerca de quatro milhões de doses da vacina contra a covid-19, que serão destinadas ao Programa Nacional de Imunizações (PNI), do Ministério da Saúde. A nova remessa veio da China e chegou no Aeroporto Internacional de Guarulhos às 21h.

De 17 de janeiro até o momento, o Butantan já disponibilizou 62,8 milhões de doses do imunizante ao PNI.

De14 de julho até hoje, foram entregues 9,7 milhões de doses da vacina CoronaVac, referentes à produção de um lote de doses processadas a partir dos 6 mil litros de IFA, recebidos no dia 26 de junho. Na madrugada do dia 13 de julho, o instituto recebeu carga recorde de 12 mil litros de matéria-prima para produzir e entregar outras 20 milhões de doses.

“É claro que à medida que progride a vacinação temos impacto na redução das internações, mortes e número de casos. Dessa forma, estamos não só vacinando como mantendo as medidas sanitárias ao passo que vamos estendendo a capacidade dos serviços e aumento de horário de funcionamento”, disse o secretário de Saúde, Gorinchteyn.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Morre ex-ministro da Cultura Francisco Weffort

Geral
2021-08-02 12:57:30
Autor Agência Brasil
Foto do autor
Agência Brasil Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O ex-ministro da Cultura Francisco Correa Weffort morreu ontem (1), aos 84 anos, após um infarto do miocárdio, segundo informações confirmadas hoje (2) pela Casa de Saúde São José, no Rio de Janeiro. Cientista político e professor universitário, Weffort ocupou a pasta durante os dois mandatos do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB), de 1995 e 2002.

Antes de integrar o governo FHC, Weffort participou da fundação do Partido dos Trabalhadores (PT), em 1980, e foi secretário-geral do partido na década de 1980. O cientista político também participou da mobilização para a realização de eleições diretas para presidente da República, em 1984.

O ex-ministro nasceu em Quatá, em São Paulo, em 17 de maio de 1937, e se formou em ciências sociais na Universidade de São Paulo (USP), onde começou a lecionar em 1961.

Weffort também foi professor visitante da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), já nos anos 2000, e, ao longo de sua carreira, também atuou em universidades no exterior.

Fora do país, seu currículo inclui o Instituto Latino-Americano de Planificação Econômica e Social (Ilpes), no Chile; a Universidade de La Plata, na Argentina, e as universidades americanas de Woodrow Wilson Center e no Helen Kellogg Institute, da Universidade de Notre Dame.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

CPI retoma trabalhos nesta terça e mira irregularidades na compra de vacinas

Política
2021-08-02 12:37:08
Autor Vítor Magalhães
Foto do autor
Vítor Magalhães Autor
Ver perfil do autor
Tipo Noticia

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid no Senado retoma os trabalhos na próxima terça-feira, 3 de agosto, após o fim do recesso parlamentar de duas semanas. Para esta semana, estão previstos os depoimentos de intermediários que teriam negociado vacinas com o governo sem o aval dos fabricantes.

O primeiro a ser ouvido será o fundador da Secretaria Nacional de Assuntos Humanitários (Senah), reverendo Amilton, que teria negociado a venda da vacina AstraZeneca em nome do governo. O policial militar Luiz Paulo Dominguetti, que ofereceu 400 milhões de doses do imunizante sem autorização, disse ter contado com a intermediação do reverendo para ser atendido pelo governo federal.

Francisco Maximiano, presidente da empresa Precisa Medicamentos, que atuou como intermediária durante a negociação para a compra da vacina indiana Covaxin, deveria depor na quarta-feira, mas disse que não poderá ir porque está fora do País. Essa será pelo menos a terceira vez que a oitiva é adiada.

Com isso, o coronel Marcelo Blanco, ex-diretor substituto do Departamento de Logística do Ministério da Saúde (MS) deve ser ouvido na quarta-feira. Ele participou de um jantar onde supostamente ocorreu pedido de propina em negociação para compra do mesmo imunizante (AstraZeneca).

O empresário Airton Soligo, o Airton Cascavel, presta depoimento na quinta-feira, 5. Nome próximo ao ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello, ele teria atuado no MS sem ter cargo oficial. De acordo com a CPI, há registros da participação do empresário em ações exclusivas daqueles que têm cargo na gestão pública, como ações com prefeitos e secretários estaduais da saúde.

 

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags