PUBLICIDADE
Brasil
Noticia

Bebê de Malvino Salvador e Kyra Gracie precisa de oxigênio: "Está bem, mas precisa de cuidados"

Internado no Centro de Terapia Intensiva (CTI) em hospital do Rio de Janeiro, Ryan tem quadro estável, segundo informou a mãe nessa terça-feira, 6

08:02 | 07/07/2021
Malvino Salvador e o filho Rayan. (Foto: Reprodução/Instagram Malvino Salvador)
Malvino Salvador e o filho Rayan. (Foto: Reprodução/Instagram Malvino Salvador)

ATUALIZAÇÃO: Filho de Malvino Salvador e Kyra Gracie se recupera na UTI: "Nosso campeão está melhorando"

O filho caçula do ator Malvino Salvador e da lutadora de jiu-jitsu Kyra Gracie, Rayan, de 7 meses, passa por um tratamento após contrair bronquiolite e ainda precisa de oxigênio. Internado no Centro de Terapia Intensiva (CTI) em um hospital do Rio de Janeiro, Ryan tem um quadro estável, segundo informou a mãe nessa terça-feira, 6.

Kyra agradeceu ainda o apoio dos fãs e famosos. "Muito bom receber essa positividade. Rayan segue precisando de oxigênio, mas está estável. Vai melhorar logo", disse à revista Quem.

Clique na imagem para abrir a galeria

Em nota ao UOL, a assessoria do casal reforçou que o pequeno está bem, mas que ainda precisa de cuidado. "Rayan está bem, mas precisa de cuidados e monitoramento e, por isso, segue em tratamento para voltar para casa com segurança. Malvino e Kyra agradecem o afeto e o carinho dos familiares e amigos e de todos que estão vibrando positivamente", diz a nota.

Também na terça, 6, nos stories de seu perfil oficial no Instagram, Kyra compartilhou foto da pulseira de identificação do hospital para falar sobre a internação. 

"Rayan piorou nesta madrugada e tivemos que internar no CTI", escreveu ela, que continuou: "Foi diagnosticado com bronquiolite, mas está sendo muito bem cuidado por aqui", disse na rede social. 

Bronquiolite

A bronquiolite é uma doença deflagrada por vírus que acomete os bronquíolos. O principal causador do problema é o vírus sincicial respiratório, conhecido pela sigla VSR. Esse vírus está mais presente quando a temperatura cai. 

Crianças abaixo de dois anos são as mais afetadas pelo problema. Elas têm maior risco de desenvolver bronquiolite pela falta de imunidade contra os vírus.