PUBLICIDADE
Brasil
NOTÍCIA

Professora relata que funcionárias tentaram proteger alunos durante ataque à escola em SC

Quando o agressor invadiu a unidade algumas profissionais levaram os alunos ao flaldário e seguraram a porta para que o jovem não entrasse

Gabriela Almeida
19:48 | 04/05/2021
Atentado deixou cinco mortos (Foto: Simone Fernandes)
Atentado deixou cinco mortos (Foto: Simone Fernandes)

Funcionárias tentaram proteger as crianças da creche Aquarela, localizada em Saudades (SC), durante a invasão de um adolescente armado com facão na unidade, no inicio desta terça-feira, 3, e que resultou na morte de cinco pessoas. Quem revelou os detalhes da ação foi a professora Aline Biazebetti, que não estava trabalhando na instituição no momento mas por morar próximo acabou presenciando o ocorrido e narrou o terror vivido em entrevista concedida à NSC TV - rede de televisão local.

A educadora trabalha na creche no turno da tarde e vive em uma residência localizada em frente a escola. Horas antes de assumir seu turno, ela estava em casa quando começou a ouvir pedidos de ajuda "muito fortes" e ao sair deu de cara com suas colegas pedindo para que ela chamasse a polícia. Assustada, a professora ligou para a instituição e mal conseguiu explicar a situação, apenas pediu por "socorro".

Logo em seguida, conforme a educadora relatou a reportagem, as funcionárias começaram a trazer para fora da unidade as crianças que estavam feridas. Aline conseguiu levar um menino para o hospital, que havia sido bastante machucado pelo agressor. "É muita tristeza (...) Perdi colegas”, lamentou em entrevista.

| LEIA MAIS |

MPF arquiva processo sobre compra de respiradores pelo Governo do Ceará

Na CPI da Covid, governistas apresentam requerimentos que miram em Estados

Mãe mobiliza redes sociais à procura das filhas desaparecidas em Jericoacoara

Ainda segundo relato, a educadora afirmou que conversou com uma professora que estava no momento do atentado dentro da escola e que contou a ela como o ataque ocorreu. De acordo com a vítima, no momento em que as funcionárias perceberam que estava acontecendo algo na escola, levaram os alunos para o flaldário e deixaram eles debaixo do mármore que havia no local, na tentativa de protegê-los.

Nesse momento o agressor tentou invadir o espaço mas uma das professoras seguraram a porta e conseguiu fazer com que ele desistisse da ação. Em seguida, todas as janelas do lugar foram fechadas para evitar que o jovem entrasse no espaço e atingisse os alunos que estavam lá. 

Atentado deixou cinco pessoas mortas

O jovem, de 18 anos, entrou na instituição em posse de um facão no início da tarde de hoje e golpeou quem encontrou pelo caminho. Apesar dos esforços das funcionárias do espaço, uma professora de 30 anos, uma agente de segurança de 20 e três crianças com idade de até dois anos morreram no atentado.

De acordo com informações do portal de notícias G1, o agressor golpeou o próprio corpo e foi levado em estado grave para um hospital da região. Os agentes encontraram na casa do criminoso R$ 11 mil e duas embalagens de facas novas. Entre as vítimas, uma criança de 1 ano e 8 meses passou por cirurgia e está internada em um leito de Unidade de Terapia Intensiva (UTI).