PUBLICIDADE
Brasil
NOTÍCIA

Floresta-CE quer coroar volta por cima com título da Série D

17:08 | 05/02/2021
Floresta-CE quer coroar volta por cima com título da Série D  (Foto: )
Floresta-CE quer coroar volta por cima com título da Série D (Foto: )

Em 20 de setembro do ano passado, quando estreou no comando do Floresta-CE, diante do Afogados-PE, em jogo pela Série D do Campeonato Brasileiro, o técnico Leston Júnior sabia que ele e seus comandados não poderiam errar. Rebaixado no Campeonato Cearense, o Lobo da Vila Manoel Sátiro só conseguiria se manter no cenário do futebol nacional em 2021 - e 2022 - se subisse para a Série C.

"A gente tinha uma bala só. Se não conseguíssemos [o acesso], o clube só voltaria a jogar uma competição nacional em 2023, se subisse em 2021 para a primeira divisão [do Cearense] e em 2022 se classificasse para o Brasileiro [da Série D] do ano seguinte. Então, era uma missão muito complicada, que exigiu um planejamento muito bem elaborado, de reformular o elenco e trazer atletas de perfil competitivo, que transformassem o ambiente", conta o técnico.

Técnico Leston Júnior acredita em retrospecto na competição para conquistar o título da Série D - Ronaldo Oliveira /ASCOM Floresta EC/Direitos Reservados

A bala foi certeira. O Floresta não só subiu à terceira divisão brasileira como chegou à final da Série D, neste sábado (6), às 16h (horário de Brasília), contra o Mirassol-SP, no estádio José Maria de Campos Maia, o Maião, em Mirassol (SP). O jogo será transmitido ao vivo na TV Brasil. Na partida de ida, em Fortaleza, os paulistas venceram por 1 a 0 e garantiram a vantagem do empate amanhã (6). Os cearenses terão de ganhar por ao menos dois gols de diferença para levantar a taça. Se a vitória for por um gol, o campeão será conhecido após cobrança de pênaltis.

O atacante Flávio Torres chegou em meio à reformulação liderada por Leston. Aos 34 anos, ele fez parte da campanha que levou o Esportivo-RS ao quarto lugar no último Campeonato Gaúcho, que rendeu ao clube de Bento Gonçalves (RS) o posto de campeão do interior e uma vaga na Copa do Brasil de 2021. Titular do Floresta, marcou sete gols na Série D. O último deles sacramentou a classificação à final, na vitória por 2 a 0 sobre o Novorizontino-SP - na partida de ida, na Arena Castelão, em Fortaleza, os times ficaram no 1 a 1.

"O título [da Série D] coroaria o trabalho. A gente sabe o tanto que trabalhou. Foram mais de seis meses de preparação. Tive oportunidade de conquistar meu primeiro acesso nacional. Pretendo ficar por mais um tempo no futebol. Estou me sentindo bem e tenho certeza que [2020] foi meu melhor ano profissional", comemora Flávio Torres.

Flávio Torres, de 34 anos, chegou ao Floresta em meio à reformulação liderada pelo técnico Leston. O atacante estará em campo amanhã (6) na decisão do título da Série D - Ronaldo Oliveira /ASCOM Floresta EC/Direitos Reservados

Em 23 jogos na Série D, o Floresta acumulou dez vitórias, dez empates e três derrotas. Classificado em terceiro lugar no Grupo 3 da primeira fase, o Lobo passou pelo Itabaiana-SE no primeiro mata-mata, com uma vitória em casa por 2 a 1 e um empate por 2 a 2 fora. Nas oitavas, deixou para trás o Juventude Samas-MA, após um 2 a 2 em São Mateus do Maranhão (MA) e um triunfo por 2 a 0 em Fortaleza. Nas quartas de final, os cearenses derrotaram o América-RN por 2 a 0 na Arena Castelão e buscaram o empate por 1 a 1 em Natal para garantirem a vaga na semifinal, contra o Novorizontino, e o acesso à Série C.

"No início, tivemos uma reunião e nos colocamos entre os 10 a 15 candidatos a título. Sabíamos que só quatro subiriam, mas que tínhamos plantel e estrutura para buscarmos o acesso. Trabalhamos forte. Houve uma sequência intensa de jogos, aos domingos e às quartas-feiras. Foram dois a três meses assim. O Floresta tem uma estrutura que ajuda bastante, então perdemos poucos atletas [por lesão]. Conseguimos pontuar o máximo possível, chegamos ao mata-mata e estamos buscando coisa maior", destaca Flávio Torres.

Apesar de fundado em 1954, o histórico profissional do Floresta é recente, iniciado em 2015, após ser comprado por um empresário local. A tradição do clube se construiu principalmente no futebol amador de Fortaleza, criando forte laço com a Vila Manoel Sátiro, bairro da periferia, onde fica a sede. O nome, inclusive, consta no próprio escudo.

União e fé em busca do título. Seguimos fortes!