PUBLICIDADE
Brasil
NOTÍCIA

IBGE: Obesidade prevalece entre mulheres no Brasil em 2019

Pesquisa Nacional da Saúde (PNS) observa obesidade em 29,5% das mulheres contra 21,8% dos homens

Lais Oliveira
10:21 | 21/10/2020
Conforme a pesquisa, obesos representam mais de um terço do total de homens com excesso de peso e quase a metade no caso das mulheres com excesso de peso (Foto: Divulgação/Sec. de Estado de Saúde - RJ)
Conforme a pesquisa, obesos representam mais de um terço do total de homens com excesso de peso e quase a metade no caso das mulheres com excesso de peso (Foto: Divulgação/Sec. de Estado de Saúde - RJ)

A obesidade no Brasil foi observada em 21,8% dos homens e em 29,5% das mulheres em 2019, de acordo com a Pesquisa Nacional da Saúde (PNS), que traz dados de antropometria (déficit de peso, excesso de peso e obesidade) das pessoas com 15 anos ou mais de idade no País.

A análise foi divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quarta-feira, 21. Conforme a pesquisa, obesos representam mais de um terço do total de homens com excesso de peso e quase a metade no caso das mulheres com excesso de peso.

Os indicadores estão baseados no Índice de Massa Corporal - IMC (peso em quilograma dividido pelo quadrado da altura em metro). Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a partir do cálculo do IMC, indivíduos adultos podem ser classificados como portadores de déficit de peso (IMC < 18,5 kg/m2), de excesso de peso (IMC 25 kg/m2), ou de obesidade (IMC 30 kg/m2), sendo a prevalência de cada uma dessas condições o resultado da divisão do total de indivíduos acometidos pelo total de indivíduos existentes na população.

LEIA MAIS | 18,3% da população cearense utiliza planos de saúde; pessoas brancas são maioria dos pagantes

Apenas 41,1% dos domicílios no Ceará tinham banheiro e esgotamento sanitário em 2019

Na PNS 2019, as medidas antropométricas de peso e altura foram obtidas, de forma direta, dos moradores de 15 anos ou mais de idade. Eles foram selecionados aleatoriamente em uma subamostra de um total de 8.050 domicílios. Os dados foram divididos em dois grupos etários: adolescentes de 15 a 17 anos e adultos de 18 anos ou mais de idade.

Essa divisão por grupos etários se faz necessária em razão de fatores como características peculiares do padrão de crescimento nas várias idades; diferenças quanto a distribuições de referência; critérios diagnósticos; e interpretação de indicadores.

Sobre a relação da obesidade com a idade, o IBGE mostrou que o padrão observado é sempre mais elevado no sexo feminino, chegando a 38% entre as mulheres de 40 a 59 anos de idade contra 30% entre os homens dessa mesma faixa etária.

Excesso de peso entre adolescentes

 

A prevalência de excesso de peso estimada pela PNS 2019 para os adolescentes de 15 a 17 anos de idade foi 19,4%, que corresponde a um total estimado de 1,8 milhão de pessoas, sendo também mais elevada entre os adolescentes do sexo feminino (22,9%) do que entre os do sexo masculino (16,0%).

Quanto ao indicador de obesidade, o comportamento foi similar ao do excesso de peso, ficando a prevalência mais elevada, com cerca de 8%, entre os adolescentes do sexo feminino do que entre os do sexo masculino (5,4%).

Déficit de peso prevalece entre homens

 

Conforme a PNS, a prevalência de déficit de peso estimada para os adultos de 18 anos ou mais de idade foi 1,6%, (1,7% para homens e 1,5% para mulheres). O índice é bem abaixo do limite de 5% esperado na população, para indivíduos constitucionalmente magros.

A divisão da população adulta por grupos de idade indica que a prevalência de déficit de peso é sempre um pouco mais elevada para o sexo masculino, exceto no grupo de 60 anos ou mais de idade, que, nas mulheres (2,9%), foi ligeiramente maior que a observada entre os homens (2,2%).

Mais da metade dos adultos apresenta excesso de peso

 

Quanto aos dados do excesso de peso da população adulta por grupos de idade, estimou-se que mais da metade das pessoas mostrou tal condição (60,3%).

Ou seja, cerca de 96 milhões de pessoas tiveram IMC 25 kg/m2, indicando uma prevalência maior de excesso de peso entre os adultos do sexo feminino (62,6%) do que entre os do sexo masculino (57,5%).

Como constatado em relação à obesidade, foi possível observar com a PNS 2019 que a prevalência de excesso de peso aumenta com a idade, em ambos os sexos, ultrapassando os 50% na faixa etária de 25 a 39 anos, sendo um pouco mais elevada entre os homens (58,3%) do que entre as mulheres (57,0%).

Com exceção do grupo de idade de 25 a 39 anos, o excesso de peso foi mais prevalente entre as mulheres. Mesmo com um declínio desta prevalência no grupo de idade dos adultos de 60 anos ou mais, o excesso de peso manteve-se mais observado entre as mulheres.