PUBLICIDADE
Brasil
NOTÍCIA

Fechada há sete meses por causa da pandemia, Ponte Internacional da Amizade é reaberta em Foz do Iguaçu

Fronteira foi liberada para travessia apenas em veículos nesta quinta-feira, 15, pelo governo paraguaio

10:06 | 15/10/2020
Ponte está fechada desde março por causa da pandemia do novo coronavírus (Foto: Renan Gouveia/RPC)
Ponte está fechada desde março por causa da pandemia do novo coronavírus (Foto: Renan Gouveia/RPC)

Após ser fechada em março devido à pandemia da Covid-19, a Ponte Internacional da Amizade foi reaberta nesta quinta-feira, 15. A fronteira liga Cidade do Leste, no Paraguai, e Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná. As informações são do G1.

O governo paraguaio reafirmou sobre a reabertura, na quarta-feira, 14, e divulgou protocolo rigoroso sanitário para a travessia de moradores pela Ponte. A liberação também foi publicada no Diário Oficial do governo brasileiro, na noite de quarta, mas sem muitas restrições.

Pela liberação do governo paraguaio, nos primeiros 15 dias, apenas veículos poderão entrar no país, das 5 horas às 14 horas, com retorno até a meia noite.

Já o governo brasileiro autorizou a entrada de estrangeiros no País e também o sentido inverso, mas sem a definição exata sobre veículos ou pedestres. No decreto brasileiro, também não há definição sobre o horário de entrada na Ponte.

A portaria do governo brasileiro, de 2 de outubro, já permitia a circulação entre municípios da fronteira, como Foz do Iguaçu e Cidade do Leste, que são cidades gêmeas, mas apenas se o país vizinho fizesse o mesmo, por meio do princípio da reciprocidade.

A travessia por Pedro Juan Caballero fica aberta das 9 horas às 22 horas, e em Salto del Guairá funciona das 6 horas às 21 horas, segundo o governo paraguaio.

LEIA MAIS | Brasil e Paraguai reabrem parcialmente suas fronteiras para comércio

Plano de contingência

 

A Prefeitura de Foz do Iguaçu solicitou, na terça-feira, 13, recursos ao Ministério da Saúde diante da possibilidade de reabertura da Ponte Internacional da Amizade. O documento também foi apresentado ao governo do Paraná, um dia depois.

A proposta do município pede a ampliação de 70 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), pois a prefeitura espera que brasileiros e paraguaios, que estão no país vizinho, busquem atendimento médico em Foz do Iguaçu após a liberação da fronteira, segundo o vice-prefeito, Nilton Bobato (MDB).

O plano de contingência apresentado foi formulado pelo comitê do município, que estuda as futuras demandas na área da saúde com maior número de pessoas na cidade após a reabertura da ponte.

A proposta do município ao Ministério da Saúde prevê as ampliações do pronto atendimento e do serviço de triagem de pacientes com a Covid-19, além da implantação de uma unidade móvel de saúde do lado brasileiro da Ponte da Amizade.

Recursos para serviços de assistência social também foram solicitados no plano. Ao todo, o investimento com as demandas seria de mais de R$ 40 milhões. Até a manhã desta quinta-feira, a Prefeitura aguardava resposta do Ministério da Saúde sobre o plano de contingência.

Fechadas desde março

 

As fronteiras do Paraguai estão fechadas desde o fim de março. À época, os paraguaios que tentavam voltar para o país foram barrados e depois tiveram que ficar em isolamento.

Em maio, o país começou a flexibilizar a quarentena, mas em Cidade do Leste, com mais de 60 mil desempregados, a pressão foi grande para liberar a passagem pela fronteira. Em julho, houve protesto e vandalismo para a reabertura. Desde então, a ideia de liberar a fronteira ganhou força, por isso, na quarta-feira, 14, o Paraguai divulgou protocolo sanitário afirmando a reabertura.