PUBLICIDADE
Brasil
Noticia

Grupo faz protesto pró-Bolsonaro na Praça dos Três Poderes

Apesar de proibição, cerca de 50 pessoas realizaram manifestação na manhã de hoje na Praça dos Tres Poderes, em Brasília

00:00 | 14/06/2020

Cerca de 50 pessoas participaram na manhã deste domingo, 14, de um protesto a favor do governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) na Praça dos Três Poderes, em Brasília. A movimentação ocorreu apesar da proibição de que fossem realizados atos no local neste domingo. 

Na noite de ontem, o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), assinou um decreto fechando a Esplanada dos Ministérios para pedestres e veículos desde a meia-noite até as 23h59 de hoje. O decreto informa que manifestações na Esplanada dos Ministérios poderão ser admitidas, desde que comunicadas "com antecedência" e com autorização do Secretário de Segurança do DF.

De acordo com a reportagem do UOL, um grupo vestido de verde e amarelo e carregando símbolos de Israel e dos Estados Unidos não estava usando máscaras ou outro tipo de proteção contra o novo coronavírus, embora isso seja obrigatório por lei no DF. A reportagem também observou que algumas pessoas gritaram palavras de ordem contra o STF (Supremo Tribunal Federal), o governador Ibaneis Rocha e a pandemia de Covid-19. A Polícia Militar chegou a se aproximar dos manifestantes e falou com alguns deles, mas não exigiu que eles se retirassem do local.

 

No último sábado, 13, o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), decretou o fechamento completo da Esplanada dos Ministérios neste domingo, 14. A medida é uma resposta ao tom que parte dos manifestantes adotaram durante e depois dos protestos no centro de Brasília, que levou a uma operação da PM a desmontar um acampamento de apoiadores do presidente, que permaneciam desde maio na Esplanada.

Para justificar a decisão, Ibaneis mencionou "as aglomerações verificadas nos últimos dias na Esplanada dos Ministérios, que contrariam as medidas sanitárias de combate ao novo coronavírus", e afirmou que "parte das manifestações realizadas nessas aglomerações tem declarado conteúdos anticonstitucionais", inclusive com ameaças de manifestantes aos Poderes.