PUBLICIDADE
Brasil
NOTÍCIA

Após um ano de massacre, escola em Suzano tem obras concluídas

Reforma priorizou segurança dos alunos. Devido pandemia do novo coronavírus, ainda não há previsão de retorno das aulas presenciais

12:46 | 07/05/2020
A escola foi cenário de massacre que ocorreu há um ano
A escola foi cenário de massacre que ocorreu há um ano (Foto: Divulgação)

A reforma da escola Raul Brasil, onde ocorreu o massacre de Suzano (São Paulo) em março de 2019, que vitimou dez pessoas, foi concluída. O local recebeu novas áreas comuns, espaços de estudos, de convivência e administrativas. As obras tinham previsão de custar R$ 3,1 milhões e foram financiadas com ajuda de parceiros privados. O valor exato gasto ainda não foi divulgado pelo governo do estado. As informações são da Agência Brasil.

Em 13 de março de 2019, dois ex-alunos da escola Raul Brasil entraram armados no colégio pela porta da frente, assassinaram seis colegas, dois funcionários e se suicidaram.

Ao O POVO, a Secretaria de Educação do Estado de São Paulo informou que, devido isolamento social por causa do coronavírus, os estudantes da Raul Brasil estão em sistema de Ensino à Distância, através da TV, Internet e um aplicativo exclusivo da escola. Ainda não há informações de quando as aulas presenciais voltam.

Leia também | Um ano do Massacre de Suzano: "Todo mundo está passando por um processo de reconstrução", diz sobrevivente

Entre outras ações, foi construída, por exemplo, uma entrada exclusiva para alunos à escola, e outra para comunidade e ex-alunos, que não dará acesso ao local onde ficarão os estudantes.

“O projeto foi pensado para ampliar os espaços de convivência para que haja uma releitura da própria escola que é antiga e já precisava receber intervenções. Além disso, a mudança olhou para aspectos de segurança”, disse o secretário Rossieli Soares, ao vistoriar as obras em março.

Além de mudanças estruturais, o governo, na parte pedagógica, está implementando uma nova disciplina, chamada Projeto de Vida, que, entre outras atribuições, leva para a sala de aula a questão do bullying.