PUBLICIDADE
Brasil
NOTÍCIA

"O ministro da Saúde está meio perdido", diz Kátia Abreu

A senadora ressaltou que a troca na pasta gerou atrasos e cobrou de Nelson Teich um plano de ações urgente

14:45 | 02/05/2020
Senador Kátia Abreu (PDT-GO)  (Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado)
Senador Kátia Abreu (PDT-GO) (Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado)

A senadora Kátia Abreu (PP-TO) afirmou que "assim como vários colegas", considera que o ministro da Saúde Nelson Teich está "meio perdido no meio do 'tiroteiro'". A declaração foi dada em entrevista ao colunista Chico Alves, do Portal UOL. Kátia foi ministra da Agricultura no governo de Dilma Rousseff e candidata a vice-presidente na chapa de Ciro Gomes, na última eleição.

Ao tratar da audiência pública em que o ministro da Saúde, Nelson Teich, tentou explicar aos senadores os seus planos contra o coronavírus, a senadora disse que não gostou do que ouviu.

"Não posso deixar de registrar que eu, assim como vários colegas, achamos que ele está um pouco perdido no meio do 'tiroteio'. Cadê o planejamento geral?", questiona.

Apesar de destacar que a troca feita no Ministério da Saúde era direito do presidente, a senadora aponta atrasos causados pelo processo. "A nossa guerra é contra uma doença, pela vida. Já fui ministra e sei que não é fácil tomar pé das coisas com o carro andando, ainda mais no meio de uma pandemia", coloca.

Kátia cobrou também urgência de Teich sobre um plano de ação para o enfrentamento da pandemia. "Acho que o ministro tem que se apressar para fazer os seus estudos, porque precisamos de medidas urgentíssimas. No caso da pandemia, o sentimento deveria ser de urgência urgentíssima. Não percebi que existe uma estratégia consolidada por parte do ministério", salienta.

Para a parlamentar, falta ainda uma série de esclarecimentos por parte do MS em relação aos protocolos que governadores devem adotar para lidar com a crise instalada no sistema público de saúde. Ela exemplifica com o caso de Manaus, que vive colapso grave em seu sistema de saúde. "O currículo do ministro é muito bom, mas ele ainda está perdido no que diz respeito a essas medidas", reitera.

LEIA TAMBÉM: "Se nada for feito, pronunciamentos do Ministério se resumirão a informar número de mortos", dizem cientistas em carta a Teich 

Ela também critica o projeto de ajuda a estados e municípios pelas perdas com a pandemia, que o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), encaminhou na quinta-feira, 30. Para Kátia, o governo federal deveria compensar prefeitos e governadores pela perda de arrecadação causada pela desaceleração da economia.

"O relatório preliminar do Senado fugiu bastante dessa compensação", avalia. A senadora diz ter ficado preocupada ao saber que o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), não participou da elaboração do texto e defende o trabalho conjunto entre as duas Casas Legislativas.