PUBLICIDADE
Brasil
NOTÍCIA

Erros no Enem 2019 foram exagerados por "militantes", segundo ministro da Educação

Convidado pela Comissão de Educação do Senado para explicar as falhas no exame, Abraham Weintraub ainda informou que os estudantes levaram apenas um "susto"

Gabriela Almeida
14:38 | 11/02/2020
O ministro da Educação, Abraham Weintraub
O ministro da Educação, Abraham Weintraub (Foto: Gabriel Jabur/MEC)

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, afirmou que os erros nas correções das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) foram exagerados por grupos "queixosos", entre eles, “militantes”. Convidado nesta terça-feira,11, pela Comissão de Educação do Senado para explicar as falhas no Exame, que atingiram cerca de 6 mil candidatos, o ministro ainda informou que os estudantes levaram apenas um “susto”. As informações são do O Globo.

Durante conversa, Abraham explicou que nenhum aluno foi prejudicado e que entre os mais de 70 mil candidatos que chegaram a procurar o Ministério da Educação (MEC) devido a erro na correção de suas provas, existem três grupos de “queixosos” que "exageraram" o problema: os militantes, as pessoas que não entendem o processo e buscam orientação e, por último, aqueles que querem colocar a “culpa no ministro”.

Ele ainda destacou que vários alunos usaram os erros para “'justificar aos pais o mau desempenho no Exame”. Segundo O Globo, o ministro reforçou que os estudantes levaram apenas "um susto" por conta da falha na correção e afirmou que todas as provas foram rechecadas. Quanto às falhas no acesso ao Sisu, Weintraub explicou que foram devidas ao grande volume de pessoas que entraram ao mesmo tempo no sistema.

Em janeiro deste ano, diversos estudantes se manifestaram sobre possíveis correções erradas no Enem, nas provas de Ciências da Natureza e Matemática, aplicadas no segundo dia de provas. Em seguida, o Mec confirmou as falhas nas correções devido a um erro de contabilização e correção, garantindo que ninguém seria afetado. O Mec chegou a receber 18 ações judiciais após erros no Exame, e cerca de 172 mil mensagens de reclamação recebidas.